Smile.dog ou Smile.jpg

Eu passei a mensagem... eu passei, não tenho culpa se você leu...
____________________________________________________________


“Eu me encontrei pessoalmente com Mary E. no verão de 2007. Tinha combinado com
Terence, seu marido há quinze anos, de vê-la para uma entrevista. Mary inicialmente havia
aceitado, já que eu não era um jornalista, mas sim um escritor amador coletando informações
para alguns trabalhos de faculdade e, de acordo com o plano, algumas peças da ficção.
Marcamos a entrevista para um final de semana quando eu estava em Chicago, mas no último
momento Mary mudou de ideia e se trancou no quarto do casal, recusando-se a me encontrar.
[leiamais]
Durante meia hora, fiquei acompanhada com o Terence do lado de fora, escutando e tomando
notas enquanto ele tentava, inutilmente, acalmar sua mulher. As coisas que Mary dizia faziam
pouco sentido, mas se encaixavam no que eu estava esperando: embora eu não pudesse
vê-la, eu podia dizer a partir de sua voz que ela estava chorando, e muitas de suas objeções
para conversar comigo estavam centradas em uma diatribe incoerente em seus sonhos - ou
pesadelos.

Em 2005, quando eu estava no segundo ano, Smile.jpg me chamou a atenção pelo meu
interesse crescente em fenômenos da web; Mary foi a vítima mais citada do que é referido
como "Smile.dog", como ficou a reputação do Smile.jpg.

O que despertou meu interesse (além dos óbvios elementos macabros da cyber-lenda e
minha tendência para essas coisas) era a pura falta de informação, já que normalmente as
pessoas não acreditam que isso exista e que não passam de um boato. É única porque, apesar
dos fenômenos inteiros centrarem em um arquivo de imagem, esse arquivo não pode ser
encontrado na internet; certamente é uma daquelas fotos manipuladas, que aparecem com
maior frequência em sites como o image-board 4chan, especialmente o board /x/, focado em
atividades paranormais.

Suspeita-se que sejam falsos, porque eles não têm o efeito que o Smile.jpg verdadeiro teria,
ou seja, epilepsia do lobo temporal e ansiedade aguda. Essas reações no espectador é um
dos motivos para a fantasmagoria do Smile.jpg ser vista como desdém, uma vez que isso
seja absurdo, embora a depender de quem você perguntar, a relutância em reconhecer a
existência do Smile.jpg possa envolver medo, não descrença.

Nem Smile.jpg, nem Smile.dog é mencionado em qualquer lugar na Wikipédia, embora
o site apresente artigos sobre outros, talvez shocksites mais escandalosos como gotse
(hello.jpg) ou 2girls1cup; ou qualquer tentativa de criar uma página referente ao Smile.jpg seja
sumariamente excluída por um dos muitos administradores da enciclopédia.

Encontros com Smile.jpg são uma lenda da internet. A história de Mary E. não é única;
existem rumores não confirmados do Smile.jpg aparecendo nos primeiros dias em grupos de
discussões e até mesmo num conto persistente que, em 2002, um hacker inundou o fórum
de humor e sátira Something Awful com imagens do Smile.dog, fazendo com que todos os
usuários do fórum entrassem em epilepsia. Diz-se também que, em meados dos anos 90,
Smile.jpg circulou em um grupo de discussões como um anexo de e-mail corrente com o

assunto "SORRIA!! DEUS AMA VOCÊ!".

Mas, apesar da enorme exposição que golpes publicitários geraram, poucas pessoas
confessaram ter qualquer experiência e nenhum vestígio de arquivos ou links foi descoberto.
Aqueles que afirmaram terem visto Smile.jpg inúmeras vezes davam a desculpa de estarem
ocupados demais para salvar uma cópia da imagem em seu disco rígido.

No entanto, todas as supostas vítimas ofereceram a mesma descrição da foto: uma
criatura canina (geralmente descrita como um Husky Siberiano), iluminado pelo flash da
câmera, fica em uma sala escura. O único detalhe visível no fundo é uma mão humana se
estendendo na escuridão perto do lado esquerdo. A mão está vazia, mas geralmente é descrita
como "acenando". Naturalmente, a maior atenção é dada ao cachorro (ou criatura canina,
como algumas vítimas estão mais certas de terem visto). O focinho da besta é supostamente
dividido em um largo sorriso, revelando duas fileiras de dentes brancos, fortes e de aparência
humana. Esta não é, naturalmente, uma descrição dada imediatamente após ver a imagem,
mas uma recordação das vítimas, que alegam ter visto a imagem infinitamente em sua mente.
Na realidade, depois de terem ataques epilépticos.

Esses relatos continuaram, muitas vezes enquanto as vítimas dormiam, resultavam em
pesadelos nítidos e perturbadores. Estes podem ser tratados com medicamentos, embora
em alguns casos sejam mais eficaz que outros. Mary E., eu supus, não estava usando
medicamentos.

Foi por isso que, depois da minha visita em seu apartamento em 2007, eu enviei notícia a
websites, listas de discussões e newgroups voltados a folclores e lendas urbanas na esperança
de encontrar o nome de uma suposta vítima de Smile.jpg que sentisse mais interessada em
conversar sobre suas experiências. Por um tempo, nada aconteceu e eu finalmente esqueci
sobre minhas buscas, desde que eu tinha começado o meu primeiro ano na faculdade e estava
muito ocupado. No entanto, Mary entrou em contato comigo por e-mail, no começo de Março
de 2008.

Para: jml@****.com
De: marye@****.net
Ass: Entrevista do último verão

Querido Senhor L.,

Estou incrivelmente desapontada sobre o meu comportamento no verão
passado, quando você veio me entrevistar. Espero que você entenda que
não era culpa sua, mas sim dos meus próprios problemas que me levaram
a agir daquela forma. Eu percebi que poderia ter lidado melhor com a
situação, no entanto, espero que me perdoe. Na época, eu estava com
medo.

Você vê, por 15 anos eu sou assombrada pelo Smile.jpg. O Smile.dog vem
a mim todas as noites, em meus sonhos. Sei que parece bobagem, mas é
verdade. Há uma qualidade inefável sobre meus sonhos, meus pesadelos,
que os torna completamente diferente de qualquer sonho real que eu

já tive. Eu não posso me mover e não posso falar. Eu só posso olhar
para frente, e a única coisa em minha frente é a cena daquela imagem
horrível. Eu vejo a mão acenando, e vejo Smile.dog. Ele fala para mim.

Eu pensei por muito tempo sobre minhas opções. Eu poderia mostrá-
lo a um estranho, um colega de trabalho... Eu poderia mostrá-lo para
o Terence, mas a ideia me repugnava. E o que aconteceria? Bem, se
Smile.dog mantivesse sua palavra, eu conseguiria dormir. No entanto,
se ele mentisse, o que eu faria? E quem iria me garantir que não
aconteceria algo pior, se eu fizesse como a criatura pediu?
Então, eu não fiz nada por 15 anos, embora mantivesse o disquete
escondido entre minhas coisas. Todas as noites, durante 15 anos,
Smile.dog veio para mim em meus sonhos e pediu para eu espalhar a
palavra. Por 15 anos, eu estava forte, embora tenha tido momentos
difíceis. Muitos dos meus colegas vítimas do board BBS - onde
encontrei Smile.jpg pela primeira vez - pararam de postar; ouvi que
alguns deles cometeram suicídio. Outros permaneceram em silêncio,
simplesmente desaparecendo da web. São estes com quem eu me preocupo
mais. Eu espero sinceramente que você me perdoe, Sr. L, mas no verão
passado quando você contatou a mim e meu marido sobre a entrevista eu
estava quase perdendo a cabeça. Eu ia te dar o disquete. Eu não me
preocupava se o Smile.dog estava mentindo ou não, eu só queria que
acabasse. Você era um desconhecido, alguém que eu não conhecia, e eu
pensei que eu não me sentiria culpada quando você levasse o disquete
como parte de sua pesquisa e selasse seu destino. Mas antes que
você chegasse eu compreendi o que estava fazendo: estava planejando
arruinar a sua vida.
Eu não podia fazer isso. Estou envergonhada, Sr. L, e espero que esse
aviso possa fazê-lo desistir de encontrar Smile.dog. Com o tempo você
pode encontrar alguém se não mais fraco do que eu, mais depravado,
alguém que não hesitará em seguir as ordens de Smile.dog.
Pare enquanto ainda é tempo.

Sinceramente,
Mary E.

Mais tarde naquele mesmo mês Terence me informou que sua esposa havia se matado. Enquanto
limpava as várias coisas que ela havia deixado, fechando contas de email e coisas do tipo, ele encontrou
a mensagem escrita acima. O homem pedia desesperadamente que eu ouvisse o aviso de sua mulher.
Ele me contou que encontrou o disquete e o queimou até que se tornasse apenas um monte de plástico
derretido. O que mais me intrigou, no entanto, foi ele ter dito que a pilha tomou a forma de algum
animal. Admito que me faltaram palavras. No começo achei que o casal talvez estivesse fazendo algum
tipo de piada comigo. Mas uma rápida olhada nos obituários dos jornais de Chicago me provou que era
verdade. Mary E. estava morta. O artigo, no entanto, não citava suicídio.
Então decidi não perseguir mais smile.dog, pelo menos por enquanto, já que meus exames de meio de
ano estavam se aproximando. Mas a vida tem maneiras estranhas de nos testar. Quase um ano depois
de meu encontro com Mary E., eu recebo outro e-mail:

Para: jml@****.com
De: elzahir82@****.com

Ass: smile

Olá

Encontrei seu e-mail num fórum e seu perfil dizia que você está
interessado no Smile.dog. Eu já o vi e não é tão assustador como todos
dizem. Estou lhe enviando em anexo. Apenas espalhando a palavra.

: )

A última linha me deixou arrepiado.
Havia um arquivo em anexo: smile.jpeg. Fiquei indagando em abri-lo por algum tempo.
Certamente deveria ser um fake, e mesmo que não fosse eu ainda não estava convencido do
poder da imagem. A morte de Mary E. me assustou, é verdade, mas preferi acreditar que ela
tinha algum tipo de distúrbio mental. E além disso, como poderia uma simples imagem ser
capaz de fazer aquilo? Que tipo de criatura seria essa capaz de levar alguém à loucura somente
com o olhar?
Certamente um absurdo. Mas e se os avisos de Mary fossem verdadeiros? E se smile.dog
entrasse em meus sonhos exigindo que eu espalhasse a palavra? Eu conseguiria ser tão
forte como Mary, me recusando a colaborar até o último minuto de minha vida? Ou eu
simplesmente espalharia a mensagem na esperança de ser poupado? E pra quem eu teria
coragem de mostrá-la?
Se eu continuasse com o meu projeto original de escrever um pequeno artigo sobre smile.dog,
eu poderia anexar a imagem a ele. E qualquer outra pessoa que lesse o artigo seria também
afetada.
Mas se o smile.dog anexado no e-mail for genuíno, seria correto me salvar dessa maneira?”

Mary E. era a administradora de sistema de um pequeno BBS em Chicago em 1992 quando
encontrou pela primeira vez o Smile.jpg, que mudou sua vida para sempre. Ela e Terence
estavam casados há apenas cinco meses. Mary foi uma das 400 pessoas que dizem ter visto a
imagem quando foi postada em hiperlink no BSS, embora seja a única que falou abertamente
sobre a experiência. O restante das pessoas permaneceram no anonimato, ou talvez mortas.


O MEDO B encontrou o arquivo smile.jpg














Dica do leitor Renan Gonçalvez
Bons Pesadelos...