23 de agosto de 2012

Ataque de Hiroshima: O dia seguinte

     A bomba atômica lançada em Hiroshima em 6 de agosto de 1945 mudou o mundo. Os profundos segredos da natureza haviam sido revelados. O poder das estrelas fora desatado e convertido em uma tecnologia mortal. A imagem da fúria de Little Boy foi vista tantas vezes que muitos se tornaram insensíveis à sua potência e poder de devastação. 
      Este programa tem por objetivo mudar esta situação apresentando a história da primeira bomba atômica sob pontos de vista pessoais muito diferentes, o testemunho minuto a minuto daqueles cuja vida foi mais devastada pela bomba, os sobreviventes e o relatório da equipe científica e militar enviada a Hiroshima para analisar a potência desta nova arma que caiu sobre uma cidade e seus moradores.Mais de 200.000 vítimas entre mortos e feridos além da falta de estrutura pra atender as pessoas.


Segue ai no trwitter clicando AQUI

13 comentários:

Ayrton Manso disse...

Véi,véi,véi vou ver esse documentário todo =D

Clau Corvo disse...

Chorei ao ver esse vídeo. Isso mostra o quanto a humanidade é monstruosa. Esse é o verdadeiro horror.

Gabe disse...

Já passaram isso na minha antiga escola...impossível não prestar atenção hm

kesser graciano disse...

a pele se desprender dos musculos, gente carbonizada um cara com o olho na mão e não tinha médicos para atender morrerão70000 pela bomba e 130000 por queimaduras

Andre Rock disse...

Porra meu, isso aí é a prova que o Ser-Humano é o ser MAIS BURRO que existe no planeta Terra; que rouba e tira a vida de até mesmo seres da sua própria espécie por causa de um pedaço de papel com um número impresso... Triste...

Edward Kadnus disse...

para acompanhar esse documentário é bom ver esse clipe da banda dir en grey no qual mostra imagems das pessoas que sobreviverao e ate aqueles desenhos pintados por eles
http://www.youtube.com/watch?v=NdceudJz8jA

Heitor disse...

É cara... Como professor de química, eu digo que este vídeo é um ótimo material, que demonstra todo o poder e horror de uma explosão nuclear.

Como pessoa, como ser humano, não tem como não ficar chocado com tudo isto... É muito poder, e naquela época não se tinha ideia do quanto ele devastaria. Foi uma das maiores burrices e um dos piores genocídios já causados na historia da humanidade... Este vídeo nos deixa uma forte mensagem, as armas não se importam com ninguém, e nem quem as constrói... Só querem destruir a vida, só querem causar morte e desespero...

Fábio Ferreira disse...

Pq não falaram sobre o Yosuke Yamahata? Ele foi o primeiro fotógrafo a chegar em Hiroshima para fotografar estas atrocidades.

patriciazier disse...

Pq não falaram sobre o Yosuke Yamahata? Ele foi o primeiro fotógrafo a chegar em Hiroshima para fotografar estas atrocidades. ²

E concordando com o heitor, faltam palavras pra expressar, o quão triste e ridiculo é esse tipo de coisa, os E.U.A, são a nação mais triste que eu conheço, as vezes o homem em si, deveria ser ignorante cientificamente, para não causar tanto sofrimento.

Igor ♥ Meel disse...

achei magnifico o poder do Urânio Enriquecido. porém muito triste o mau Uso que se teve de tal. Os EUA não perde a chance de usar outros países para o seu desenvolvimento próprio, e usam a desculpa de que usou a bomba pra rendição do japão para acabar com a guerra logo para não morrer mais pessoas e tralala... Porque não assumem logo que queria vencer que ja é oque todos sabemos, e que ficaram SUPER ORGULHOSOS pelo poder que obtiveram através de estudos, o poder que lhes deram a vitória, O mais lindo é que somente os EUA, Japão, Russia e outros países que desconheço , podem fabricar bombas nuclear.
Ótimo Documentário !!

Guilherme Zorzan disse...

E.U.A sao uns covardes atacaram Japao apos a Segunda Guerra mundial quando Japao estava se recuperando da guerra contra China , E.U.A sao pessoas monstruosas as mais ridiculas que existem sao frias enquanto Japao e um lugar de PAZ!

Hugo Serafim Junior disse...

Americanos hipócritas, o maior ataque terrorista da história...

Elza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.