29 de março de 2013

Sigma.



Eu amo te ver assim, quieta, inerte, com essa expressão vazia, com esses olhos cor de café, antes alegres e tristes, monótonos e interessantes, agora reduzidos a simples órgãos inúteis.

Amo observar a gota carmim que desliza sobre tua face até chegar ao teu queixo, passando sobre essa pele fascinante, até que, sonoramente, cai no piso de mosaicos.


[leiamais]


Amo ver teus óculos, tu ficavas tão linda quando usava-os em vida, eles refletiam teu caráter, tua beleza, eram um elemento que fazia parte de ti, e me encantava ver-te com eles a cada manhã.

Meu olhar se desvia do teu rosto, dos teus olhos, do teu cabelo, que bem poderia se passar por seda, por teus lábios, que ainda que não sejam mais vermelhos, conservam a suavidade do algodão que jamais foi tocado.

Agora enfoco teu corpo.

Tua figura, que parece esculpida em mármore, tua cintura desenhada, teu abdômen liso e impuro, teus ombros delicados e tuas costas perfeitas, sempre me perguntei por que nunca te deste conta do corpo perfeito que tinhas?

Tuas pernas magrinhas, teus pés pequenos e delicados, teus joelhos levemente marcados com algumas finas cicatrizes, certamente oriundas de alguma brincadeira quando eras menor, realmente, agora me dou conta de que eras uma estátua viva.

Nem Persefoné, rainha do submundo, nem Isis, deusa suprema do Egito, nem nenhuma figura antes esculpida se pode comparar à ti, tu és a beleza encarnada, tu és a poesia em movimento.

Ainda que agora estejas aí, quieta, em uma enorme poça de sangue, sigo pensando que és, foi e serás, a mais bela que conheci.

Como pôde me forçar a isto?

Como pôde me forçar a te causar a dor que jurei e perjurei que jamais te causaria?

Juramentos, também os odiava, acreditava que eram falsos e perversos, e assim se mostraram, no final.

Agora, meu olhar se desvia à minha mão direita, a qual segura uma lâmina curva, prateada e fria.


A passos lentos me aproximo do teu corpo, me inclino, toco tenebrosamente teu rosto com minha mão suja de sangue, com muito cuidado, já que não poderia suportar causar-te mais dor.

Com uma nova descarga de adrenalina, seguro firmemente a lâmina com ambas mãos o a cravo em meu peito.

A pontada de dor que sinto é terrível, mas agora, e só agora, tudo ficará bem.

Com minhas últimas forças, arranco a lâmina de meu peito e a coloco junto com tua pequena mão, ao tocá-la ainda consigo expressar um fraco sorriso.

Adeus, espero que chegues ao teu paraíso, enquanto eu, eu desaparecerei no nada.
Tu não deverias ter contado aos outros, pequena, de quando te toquei. Ser teu professor foi a melhor coisa que me aconteceu nesta vida, e tocar teu corpo macio, foi a sensação que me fez desistir da vida, se não fosse para viver eternamente ao teu lado.

Minha querida, eu te amo.
Post by: Loucifre
Siga no twitter: @loucifre

Bons Pesadelos...

74 comentários:

Karin Rippel disse...

perfeito.

Elvis Nobrega disse...

Genial.

Diih Medeiros disse...

Tá escrito: ''Minha mãe suja de sangue'' !

Clara Moreira disse...

Muito bom

Diih Medeiros disse...

Assim que terminei de ler, pensei logo em Romeu e Julieta ! Conto perfeito, parabéns !

Nathan Sider disse...

q tensso

Vitoria disse...

Que amor ♥

Gabriel B. disse...

Parece poemas trash goth

Léo Aquino disse...

Que pervertido!... Brincadeira.

savio alves disse...

Ele era pedófilo?

Carina Miotto disse...

Lindo

Luan disse...

Ele era pedófilo? ² ... É tudo que da a entender no final do conto.

Noir Line disse...

Olha, só tem um pequeno problema.... vocês poderiam por uma trilha sonora de terror nas creepys, ficaria legal, vai a dica ;)

Luc; sz disse...

eita o_o

léozinhu disse...

Kkkkkk minha mae suja de sangue

Maria Vitória disse...

Muito Lindo.

Srta.Nefilim disse...

Bem apesar de ser um conto de pedofilia, foi muito bem escrito.

Wandinha Addams disse...

Perfeito, embora o 'mãe suja de sangue' fez doer os olhos..

Marcela Fabreti de Oliveira disse...

Na minha cabeça, ficou tocando a versão acústica de "Gone With the Sin" do HIM o texto inteiro, principalmente no começo, em que o texto foi praticamente igual à letra da música. Pra quem pediu trilha sonora, taí uma opção pra esse texto que, tirando a mãe cheia de sangue, tá perfeito.

Marllon Schiave disse...

Nao entendi muito bem isso seria um conto que fala de um assasinado pelo amado oque e alguen pode me dizer estou muito curioso li isto umas 3 vezes e nao entendi.

Louise disse...

Ai meus leitores, se vocês não podem perdoar um erro mínimo de digitação, aí não sei como proceder com vocês.

Juan disse...

O texto é realmente lindo, a não ser pela pedofilia.

One Zombie disse...

que bosta -.-

Fabricio H.B.C disse...

Compararam Romeu e Julieta com pedofilia!?!!
Chega de medoB por esse século...

Andre_Pipoca'N'Refri disse...

Tamara, só que ao contrário '-'

Luã disse...

Curti,mas achei meio estranho o final haha
Aqui tem umas histórias de terror bacanas:
http://vidalok4s.wordpress.com/

Gabriela disse...

Lindo?? Gente, vocês são doentes? Um cara que por um amor doentio mata o ser amado é lindo? é doença! Sem falar na pedofilia.. Como pode ser Lindo ? ele matou a menina por ela ter contado sobre o que ele fez com ela! È um conto interessante, mas macabro.

Gusso disse...

Que texto de bosta! O autor deixa a entender desde o início que está descrevendo o cadáver da amada. A única 'surpresa' é ser de uma criança o corpo descrito, mas que não espanta nem um pouco o leitor. Que o autor leia Berenice, de Poe, e aprenda um pouco.

Mid chan disse...

Gostei do texto, mas não esperava o fato de ser o desabafo de um professor pedófilo '-' Coitada da pobre criança...

eclipse disse...

Legal, mas parado...

Marcela Fabreti de Oliveira disse...

Louise, é que colocar a mãe do cara no meio é mancada, né? HSUAHSUA Esse é o erro mais clichê, mais zoável e mais fácil de cometer, junto com "pai" por "pau".

E, fofinhos, na boa. O cara é professor, pedófilo, se apaixona de maneira doentia por uma aluna, a assedia e a mata quando descobre que ela comentou que foi assediada. E ainda fica admirando o cadáver de uma MENINA antes de cometer suicídio e vocês tão aí achando fofinho? Shakesperiano? Vão se tratar.
E pro outro grupo que fica "mimimi que bosta não deu medo saudade MedoB", vão ver gore e sejam felizes.

Sara disse...

Desta vez não gostei do post. Não acho poesia nem beleza nele. Também não há aquela sensação do susto eminente ou do mistério para se saber mais. A sensação final é de repulsa, mas uma repulsa diferente de saber que há pessoas que comem morcegos, por exemplo. É uma repulsa que surge por vermos alguém que cometeu um acto hediondo (seja a pedofilia, seja o assassinio) ver beleza nisso. Chamar o que fez de "amor". Tentar justificar o injustificável. Acho que o post não combina com o blog. É a minha opinião, e peço desculpa por não ser mais favorável, mas como sei que este blog é um blog para os leitores,e acho que quem escreve faz um excelente trabalho, acho que nos devemos manifestar, tentando sempre não ofender ninguém.

Hellen disse...

O texto é bonito e poético, e por isso mesmo assustador por se tratar de pedofilia.

Raphael disse...

acho que ninguém aqui leu Lolita, né...

Ramonn Borges Reis disse...

O pessoal que fala que esse tipo de amor é lindo é du caraio.

Bruno Raphael disse...

Achei o clima do texto tenso do começo até o fim, n tava esperando nada de revelador no fim, quando li a palavra "professor" eu primeiro pensei somente em um ex-namorado mais velho que ensinou algo sobre a vida (e o sexo) pra amada, até cair a ficha que era professor no denotativo mesmo, de ambas as formas o pensamento doentio rendeu um bom texto. Qual a porra da semelhança entre Romeu e Julieta? O Romeuzão se achar Romeu só que com uma releitura meio sádica da coisa... N tava esperando nada profundo pq até onde sei nenhum Stepehen King da vida é redator desse blog, monte de aborrecente chato esses porra que comentam aqui hein?

Parabens aí pelo texto :D, dá p tirar uma reflexão disso e realmente tem muito pedófilo por aí (ou ex-namorado na minha primeira interpretação errônea da coisa) que pensa dessa forma mesmo, gosto mt das creepys/relatos/curiosidade/artigos sem vídeos do MedoB

MoraisNetO disse...

acho que ninguém aqui leu Lolita, né... +¹
Doentio, mas muito bem escrito.

Gritos no Vazio. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PsicodelicoW#3 disse...

Eh por isso que carrega a imagem do night stalker ? Seria lindo se vc se encontrasse com ele... ele iria te deflorar sodomizar e violentamente te assassinar... muito romantico.

PsicodelicoW#3 disse...

O texto ficou bem bonito, apesar de que o escritor demonstrou nao ser um muito experiente e a trama um tanto clichê... no geral eh um bom texto, e clichê todos amamos, alguns soh nao admitem.

Biєł ηuηєs disse...

Não sou muito de comentar, mas... Esse texto ficou muito bom. Tem gente reclamando que logo no início dá pra saber que ele fala de um cadáver, mas isso realmente foi proposital, e do jeito que o autor fala, parece que ele havia matado a esposa, ou algo assim. A trama mesmo é saber que ele era pedófilo, e matou a aluna.

Marcela Fabreti de Oliveira disse...

"Acho tão atraente, tão mórbido, e ao mesmo tempo tão sexy toda essa história do amor proibido, da morte, de duas almas que por alguma intervenção não podem ficar juntas... Espero que algo assim um dia aconteça comigo."

Claro, até porque em NENHUMA parte do texto fala que a menina correspondia o amor/paixão/tesão/sei lá que porra o professor sentia por ela, só fala que ela foi "tocada" e assassinada porque denunciou o cara pra alguém. Ser assediada sexualmente é um negócio muito lindo mesmo, boa sorte aí na tua procura, tô torcendo pra você conseguir o que quer.

Marcela Fabreti de Oliveira disse...

BTW, Lolita é um livro sensacionalmente bem escrito, mas é completamente doentio, principalmente pelo fato de que, por ser tão bem escrito e em 1ª pessoa, você acaba simpatizando com o personagem. Aí no fim do livro vem aquele peso "como é que eu pude curtir um personagem assim tão horrível"? Por essas e outras é que o livro é tão bom.

Matheus Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Matheus Silva disse...

era pedófilo ,prefiriu mata-la ao ter que arca com as consequencias, assim como na historia "Catarse" de Alexandre Heredia no livro Necropole.
ambas são boas historias,mas de certo modo doentio.

Poena disse...

Devem ter achado a forma como ele narrou bonita, nao o que ele fez.

Poena disse...

"Desta vez não gostei do post. Não acho poesia nem beleza nele. Também não há aquela sensação do susto eminente ou do mistério para se saber mais" concordo ate aqui. Achei o texto meio toscudo, meio que tentativa de ser poético.

Poena disse...

Ate concordo com voce. Mas o texto nao foi esse.
O homem é um professor que assediou a aluna. Ela contou para alguém, e ele provavelmente acabou se ferrando, o que o levou a matá-la e a se matar. O único amor proibido aqui é, na verdade, essa obsessão que ele tinha com ela, obsessão essa que o fez matar a menina e a se matar também.

Pedro disse...

No lugar do professor ficaria melhor um padre -n

Eduarda disse...

Prevejo mais "From Réus" comentando babozeiras do tipo: "Que lindo", "que foda", "que show"... ahshuahsuhaushas

Eduarda disse...

Prevejo mais "From Réus" comentando babozeiras do tipo: "Que lindo", "que foda", "que show"... ahshuahsuhaushas

Agnes Gabriele disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NÃO olhe para trás... ou olhe... seilá disse...

Eu ri da resposta da Marcela: "Claro, até porque em NENHUMA parte do texto fala que a menina correspondia o amor/paixão/tesão/sei lá que porra o professor sentia por ela, só fala que ela foi "tocada" e assassinada porque denunciou o cara pra alguém. Ser assediada sexualmente é um negócio muito lindo mesmo, boa sorte aí na tua procura, tô torcendo pra você conseguir o que quer."

Acho que a pessoa que disse que queria ter uma experiência daquela é doentia ou burra demais para perceber os detalhes do texto...

Priscilla M.S.X. disse...

Pedobear versão necrófilo detect

Filipe M disse...

Curti ainda mais o texto ouvindo a música

Filipe M disse...

Kkk concordo, não entendi aqueles coments

Felipe Dossie disse...

Há um bom tempo não lia algo tão bom quanto curto assim.

Larissa Barros disse...

Ok ok, pedofilia tensa, me deixou com um pouquinho de raiva, mas fazer o que.... E que se foda se tá escrito "mãe suja de sangue".

Ǥส๒яiєℓส ℛє๒'ℓ Ŧℓєนя disse...

Lindo e intrigante.. adorei!

Larissa Portugal disse...

Ok, ok, pessoas. O texto é doentio, não é profissional, não é lindo, é só um cara louco, pedófilo e necrófilo. Bacana. Eu sinceramente acho que o texto foi muito bem escrito. Não interessa se já dá pra perceber que ele descrevia um cadáver logo no início do texto. Não é esse o suspense, é o fato de ser uma criança com um professor! E também fiquei na dúvida sobre qual é a maldita parte do texto que lembraria Romeu e Julieta. No mais, realmente achei o texto muito bom, parabéns a quem escreveu e ao pessoal do MedoB pelo post =D

Karu disse...

Eu já escrevi bastante coisa parecida, mas, céus, esse foi genial. Aplausos a uma das melhores descrições de um cadáver de uma criança provavelmente abusada repetidas vezes por seu professor.

Barrett disse...

Maneirão LOL muito foda

rafameba disse...

O jeito que ele descreve a moça, com tantos detalhes, deixa a história muito bonita :)

Victória Lisboa disse...

O texto ficou muito forçado e falsamente poético. O MedoB já nos trouxe coisa melhor.

Junior Oliveira disse...

Victória Lisboa. Consegues fazer melhor? Antes de menosprezar os posts do blog, reflita nesta pergunta; ou ao menos aprenda a se expressar melhor, de maneira ao nao desagradar o blog e os leitores.

Paty disse...

Lindo de mais, muito perfeito! Amei! *-*

Fernanda Baptista disse...

Gostei. É repulsivo, mas muito bem escrito.

Sparda lost daughter disse...

Lindo apesar de ser do ponto de vista de um assasino lolicon

Sentimental Girl disse...

Achei o texto muito bem escrito, parabéns. Só não entendo como alguém é capaz de comparar isso com "amor proibido", aliás não dá nem para comparar com amor, não há nenhum tipo de amor nessa história.

Daniel Martins disse...

perfeito, genial *--*

Andressa Catarinacho disse...

Odeio quando algumas pessoas acham que pra escrever bem é suficiente usar verbos na segunda pessoa. Nesse caso bem mal utilizados, inclusive.
Fora as tentativas de colocar palavras bonitinhas pra enfeitar a história mal contada e mal estruturada.
O autor não soube construir uma narrativa e o final que, de repente, nas mãos de alguém mais talentoso poderia ser interessante ficou completamente solto e não me trouxe nenhuma reação. Mas é difícil dizer depois de ler já nesse formato patético.

Walter Iridus disse...

Esse tipo de personagem, como o do assassino dessa história, me causa uma revolta profunda, um ódio descomunal que parte dos cantos mais escuros da minha mente. Evoca em mim um ímpeto tenebroso para corresponder à violência do ato em uma resposta suficientemente cruel para fazer o sujeito sentir cada fagulha da culpa que tem, enquanto não pode se defender do que lhe será feito nos próximos (e últimos) momentos de sua vida. Lembra-me de Jigoku Shoujo.

Sandy Bonatti disse...

Não sei explicar como e nem porque, mas eu gostei do texto .____. (medo)

GÉSSY TIMBATIMBA disse...

Gente é uma história que não é bonitinha porque tratasse de pedofilia, os que acharam um absurdo o fato do autor ter tratado de um assunto tão polêmico de forma poética, deveriam saber que ele foi escrito como se o próprio pedófilo estivesse escrevendo...por tanto narra da forma exata o que um pedófilo realmente se sente pode ser nojento mas nada mais que real...podemos odiar o quanto quisermos mas é uma doença e é exatamente assim que eles sentem...nojento mas reAL...