3 de abril de 2013

Promoção Mama

ESTRÉIA 05/04 


Imagine o maior amor do mundo! Consegue imaginar um amor maior que o da sua mãe?
Agora imagine o maior amor do mundo transformado em MEDO!

Guilhermo Del Toro, famoso por filmes perturbadores, transformou o amor de mãe em MEDO no filme Mama.

No filme o pai das garotas, Victoria e Lilly, matou a mãe delas e elas fugiram pra uma floresta desaparecendo por 5 anos. Quando elas voltam, não explicam como sobreviveram esse tempo e são adotadas pelos tios Lucas e Annabel. Os tios dão uma vida calma a elas, mas percebe que elas conversam com uma entidade que chamam de “Mama”. Enquanto isso estranhos fenômenos acontecem pela casa.

Você TEM CORAGEM de enfrentar esse MEDO?

O filme foi baseado num curta de 3 minutos de 2010 com o mesmo nome.






Promoção!

O MEDO B vai sortear OITO pares de ingresso para vocês assistirem MAMA! Tem Coragem?
Pra concorrer você tem que escrever uma frase aqui nos comentários contando qual caso mais inusitada que você conhece sobre AMOR DE MÃE!
Coloque também sua cidade e email! Não esqueça.

Os oito melhores comentários serão escolhidos pelo @MEDO_B, @LOUCIFRE e @MILHO_WONKA
A escolha será feita na Sexta-feira, 05/04. Dia da estréia do filme!

Só comenta quem quer participar da promoção!
Boa Sorte, e bons pesadelos...

168 comentários:

Daniel disse...

Uma aranha européia (Stegodyphus lineatus) regurgita alimento para dar a suas filhas e em casos extremos comete matriarca (oferecem seu próprio corpo como alimento para seus filhotes). Belém - PA, meu email é db2ok@hotmail.com

Kayowh disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kayowh disse...

"Sua mãe". Uns levam como
xingamento, outros puramente por
se referir a sua mãe. Mas há um
amigo meu que fala isso em vão.
"Sua mãe" pra ele é a mãe dele. O
amor que ela tem por ele é muito
grande. Sua mãe é Lilith. Sua mãe
possui as pessoas para agradar ao
filho. Sua mãe pode ser sua mãe.
Ao pé da letra.

e-mail - caiorustice@hotmail.com
São Paulo - SP

Luciano Torres Filho disse...

O polvo fêmea passa todo o tempo de sua gestação escondido em um buraco no fundo do mar, isso para que os predadores não devorem seus filhotes. Ela não sai de lá até que os bebes nasçam, o que faz com que ela morra de fome. Quando finalmente chega a hora do nascimento a mãe esta morta, e o primeiro alimento deles é a falecida mamãe polvo
Luciano - Sobral-CE - lucianotorresfilho@gmail.com

memesmil disse...

essa historia ouvi quando era criança uma mae trabalhava como costureira i seu marido a batia mt logo um dia elis brigaram i o marido a mato i antes de morre a mae do garoto avia prometido a eli uma casa para a sua primeira comunhao o garoto ja morando com os tius ja q o pai so sabia beber um dia escuta a voz de sua mae o chamando para sua casa la eli encontra uma camisa para sua primeira comunhao i escuta a seguinte voz ''filho aki esta a sua camisa como a mamae prometeu '' o menino volta para casa os seus tius ficam chocados com oq o menino fala i logo elis recebem a noticia q o pai do menino avia morrido , uma maquina de constura tinha caido em cima da sua cabeça i a maquina era da mae do menino meu email pepe208@hotmail.com.br

Dark disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dark disse...

de fato ha muitas historias de amo de mãe por ai mas prefiro conta uma sobre a minha, quando tinha entre 6 a 7 anos meu pai sai de casa pra morar com outra mulher que era uma das melhores amigas de minha mãe, isso abalo muito ela que não tinha trabalho mais tinha que cuida de 2 crianças, "eu de 6 anos e minha irma de apenas 2" então depois de um mês uma outra amiga dela arrumou um "pico" de domestica, ela não comia a 1 mês para pode nos alimenta e ia apé ate o trabalho para poder compra a comidas e fraldas de minha irma, ela andava entre 1h30 para chega no seu trabalho, o tempo passo e a gente fomos nos ajeitando, hoje em dia ela conversa com meu pai como se nada tivesse acontecido no passado, eu sei que ela ainda tem mágoas dele mais para o bem de seus filhos ela convive sem demostra seu dor.

Gilmario - São Paulo - SP - gilmar-911@hotmail.com

Alexandre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandre disse...

Minha cadela poodle deu cria há dois dias a 3 filhotinhos. (2 brancos e 1 preto)
Todos aparentemente saudáveis, porém, ontem à noite qdo cheguei do trabalho, percebi que tinham apenas dois filhotes (1 branco e 1 preto)... revirei o quintal todo pra ver se achava rastro do branquinho perdido, mas não achei.
Minha cachorra, comeu os próprios filhotes.
Alexandre - Nova Friburgo - RJ - alexandrereisamorim@yahoo.com.br

4 ever jucy disse...

uma mãe preferiu sacrificar sua vida para salvar o filho durante um terremoto. Quando só restavam ruínas, os bombeiros procuravam sobreviventes em meio aos destroços, acabaram encontrando o corpo de uma mulher em uma posição estranha.
Ao se aproximar viram que seu corpo estava debruçado, enquanto sua mãos apoiavam algo que não conseguiam enxergar. A casa havía caído em cima da mulher. O bombeiro se aproximou cada vez mais do corpo, na expectativa de que a mulher estivesse viva, porém sem sucesso.
Quando a equipe já estava indo embora, como por pressentimento, um deles resolveu voltar e olhar novamente a mulher. Ajoelhado através das pequenas rachaduras, ele gritou para seus colegas que havia uma criança lá. Ao resgatar a criança, descobriram um menino de 3 meses enrolado em um cobertor abaixo do corpo da mulher.
O menino, filho da mulher encontrada, estava carregando junto ao cobertor um celular, no qual havia um mensagem da mãe para a criança que dizia: “Se você puder sobreviver, você deve se lembrar que eu te amo.”

O menino sobreviveu, no momento em que foi encontrado estava dormindo, seguro sob o corpo de sua mãe.
Juciara-Mauá-SP-jucy_mcs@hotmail.com

Jun disse...

O cara era macho.
Pegava todas!
Chegou em sua maturidade.
E se surpreendeu.
De repente, começou a sentir.
Cólicas. Enjôos. Fome.
Passaram-se dias.
Sua barriga começou a crescer.
Chutes na barriga. Cansaço.
Desespero!
"O que está havendo comigo"?
Pergunta que não cessava.
A barriga crescia cada vez mais.
Sensações estranhas. Sensação de afeto.
Mas por quê? Por quem?
Barriga crescia, crescia cada vez mais.
E um dia, começaram.
As contrações.
Cada vez mais intensas.
Mais intensas. MAIS intensas.
Dor... sensação estranha...
Isso... não... é... possível...
E então, finalmente, soube o que houve.
Sensação de alívio.
Felicidade indescritível!
Ele se tornou MÃE!
De dezenas de ovinhos.
Ficou com vontade de ver sua expressão de alegria.
Então olhou para o espelho para enxergar seu rosto.
Ele era um cavalo-marinho.
Logo após isso, despertou. Ou não?

Roberto
São Paulo, SP
junsama84@gmail.com

PS.sei que a história está cientificamente inadequada... mas digamos que são licensas poéticas

malilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
malilo disse...

Eu sei que essa história não parece ser vedadeira. mas possa afirmar que foi real, e que ocorreu aqui mesmo na minha cidade, uma mulher que não podia ter filhos, 'alugou' a barriga da sua amiga para gerar o feto, até ai tudo bem, mas a portadora da criança, que ainda estava em sua barriga, começou a se apegar demais ao bebê, decidiu não dar a outra mulher, mas a outra mulher ficou revoltada, pois até os espermatozoides era do seu namorado, e esperou a mulher estar de 8 meses, e em uma atitude tola e precipitada, atacou a portadora do feto com uma faca '-' e abriu a barriga da mulher e correu com o feto todo ensanguentado, isso foi muito abafado por aqui, porque a mulher tinha parentesco com o prefeito da época, mas bem, eu sei que não parece real, eu também não achava, mas um dia fui até a delegacia e perguntei, e eles falaram que sim, isso aconteceu '-' e a mulher pegou 7 anos de cadeira
mas bem, amor de mãe é isso ai
marlon correia simas
balneario camboriu - sc
(malilo26@hotmail.com)

Caroline Beltrame disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caroline Beltrame disse...

Sei de um acidente real (não lembro em que ano foi) onde um avião caiu e apenas uma mulher sobreviveu com seu bebê e não descansou até que fossem encontrados pela equipe de resgates.
A parte punk da história é que a mulher estava sem a parte da cintura para baixo (perdeu no choque). Alguns dias depois a equipe os encontrou, o bebê foi salvo e como previsto, infelizmente a mulher morreu.

caroline.beltrame@outlook.com
Osasco-SP

Antonio Carlos Tatajuba disse...

Conheci um amigo que me contou está história:

O mesmo tinha 10 anos na época e compareceu a um festival de rodeio no interior de São Paulo, no dia fizeram várias promoções para a molecada que queriam subir e montar nos cavalinho pequenos para concorrer a diversos prêmios.

Pois bem, este meu amigo resolveu subir em um dos pôneis e estava indo super bem, até que derrepente, um cavalo enorme invade a arena, de quase 2 metros de altura e o acertou, derrubando imediatamente ao chão e ao mesmo tempo foi diretamente para acerta-lo, quando no exato momento, sua mãe também invadiu a arena e ficou na frente do seu filho e gritou por várias vezes: " É meu filhoooo, nele você não encostará, vem...vem..", incrivelmente o cavalo enorme recuou e se acalmou para o alívio de todos no local ...

Depois dos atendimentos médicos necessários tanto para o garoto como para a Mãe, concluíram que o cavalo que invadiu a arena era mãe do pônei que estava sendo utilizado na arena.

Resumindo: " Amor de mãe é único e por mais que seja agressivo ou fora do normal qualquer comportamento seja ele animal ou humano, temos que respeitar "

É isso galera.. Abraços!!!

Antonio Carlos
São Paulo/SP
abujatat@hotmail.com

Pâmela nakamura disse...

Uma mae macaca num zoológico deu a luz a um bebezinho macaco morto mas ela nao largou sua cria por nenhum segundo e nao deixou que ninguém o tirassem dela pois. Era dela. O filho. Dela e ela. O amava muito mesmo estando morto

Pâmela nakamura disse...

Cravinhos sp metalerarockera@hotmail.com ops esqueci da cidade e do e-mail kk sou a garota da mae macaca ali

David Azevedo Oliveira disse...

O caso mais inusitado que conheço é sobre minha própria mãe, ela me ama tanto que não consegue parar de cuidar da minha vida, sempre se meteu manipulando todos ao meu redor para que tudo dê certo para mim, ela já consegui fazer minha ex namorada abortar um filho (que eu não sabia que ela tava gravida) só para eu não ser pai cedo, mas o pior que descobri recentemente foi que ela planeja me empalhar depois de minha morte e através de nossas conversas gravadas pelo celular dela irá fazer com que eu (já empalhado) continue conversando com ela, ainda falta eu descobrir pra que ela vai usar um saquinho cheio de dentes (meu s dentes que caiu quando era criança) e uma especie de tardigrade eu um recipiente muito pequeno. Estou com medo...

Daia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rhay disse...

Para salver sua filha, uma mae de Pernambuco fez um trato com os sequestradores de que iria trocar sua vida pela da menina. Quando os sequestradores aceitaram a menina foi solta ilesa mas sua mae tomou seu lugar e 3 dias depois foir encontrada em pedaços abandonada em um campo de futebol perto da escola em que trabalhava como professora, junto com o corpo havia uma bolsa simples de pano bem ensanguentada na qual continha uma carta que os sequestradores permitiram que fosse escrita antes que a mae da menina morresse, na carta havia apenas alguns rabiscos e as palavras "Eu faria tudo denovo por você", atualmente a garota estuda artes cênicas na universidade federal do paraná (eu acho nao me lembro bem) mas nunca se recuperou totalmente do acontecimento, em entrevista a garota diz que sua mae nunca morreu, que ela permaneca ao lado sempre e que algumas vezes a garota escuta sua mae falando algo do tipo "eu te amo" ou "va em frente", de acordo com a menina, a unica coisa que faz com que ela tenha forças é o amor de sua mae sempre PRESENTE.

Rhay disse...

Ops esqueci, Campinas-SP rhacathe@hotmail.com

Priscila Boltão disse...

Vixi... a única história que eu lembro é de uma mulher que tinha um bebê recém nascido quando teve um desabamento e ela e o bebê ficaram presos embaixo dos escombros. Ela tentou amamentar, mesmo naquela situação, mas o leite secou (por causa do stress ou coisa assim). Daí ela mordeu o próprio dedo até tirar sangue. E alimentou o bebê com o sangue dela até os bombeiros acharem eles, uns dois ou três dias depois.

Curitiba - priscila.boltao@gmail.com

Daia disse...

Ouvi essa historia quando era pequena e não me esqueci mais.
A mulher conheceu um homem que estava de passagem em sua cidade, dormiu apenas uma noite com ele e acabou engravidando, o homem misterioso nunca mais foi visto. Quando a criança nasceu, tinha uma fisionomia muito estranha, tinha cara de mais velho e muitos pelos no corpo. A mulher escondeu seu filho dos vizinhos que afirmavam se tratar do filho do demônio. Com o tempo seu filho rejeitava o leite e em uma tentativa que deu certo a mulher passou a alimenta-lo com sangue de animais. A criança crescia e cada dia ficava com mais pelos no corpo e dois caroços na testa.
Após alguns dias sem que os vizinhos vissem a mulher, invadiram a casa dela e a encontram morta com varias marcas de mordidas pelo corpo e um rastro de sangue. A criança havia sumido.
A mulher mesmo sabendo que seu filho era uma aberração o protegeu sempre e não ouvidos aos vizinhos que sempre a alertaram que tinha que matar o seu filho ou ela morreria


daianapereira.s@gmail.com
São Paulo-SP

M. disse...

Essa historia aconteceu com a mãe de uma amiga minha quando ela vivia no sitio da família, la perto de Minas Gerais. Ainda não havia chegado energia elétrica nem telefone nos sítios, apenas no centro da cidade, e isso fazia com que a comunicação demorasse quase dois dias para ser feita entre a fazenda e o centro.
A tia dela havia ficado doente recentemente, já era uma senhora de idade avançada para aquela época e o trabalho na roça, beirava os 40 anos. Não era viável todos os parentes ficarem na cidade, nem mesmo ficar viajando todos os dias para ela, então apenas o marido e os pais a ajudavam na cidade.

Todos os parentes dormiam no mesmo quarto. Era uma casa de madeira, daquelas largas, do modo mais rural possível. As crianças dormiam em beliches, as vezes quando vinham muitos parentes, uniam as camas e deitavam de lado, para caber mais gente. Toda família torcia para a melhora da Tia, que agora eu não me recordo o nome.

Em uma das noites, quando todos estavam dormindo, um grande estrondo acordou todo mundo, uma coisa bem grande e pesada tinha batido no teclado. Não chegou a quebrar, as telhas eram de boa qualidade, mas assustou todo mundo, e ninguém mais conseguiu mais dormir. Para ajudar, o Pequeno ( Como era chamado o gazebo mais novo da família. ) não conseguia parar de falar da mãe dele, a mulher que estava no hospital. No começo ninguém entendeu direito o que o pequeno falava, só achavam que tava com muita saudade da mãe, mas depois o consenso foi tão grande do que tinha acontecido aquele dia que se criou até uma lenda urbana.
No dia seguinte, os garotos mais velhos subiram no telhado e viram que não tinha nada la encima. Nada de pedras, ganhos de arvores, algum animal que tenha caído do céu.

Dois dias depois chegou a noticia de que a querida Tia tinha falecido, e que no mesmo horário que o barulho acordou todo mundo, a Tia tinha passado para outra.
A coincidência com o horário já fez todos ficarem atônitos, mas eles só tiveram certeza da visita da tia, por que desde aquela noite, o Pequeno tinha falado sobre a mãe, de um sonho que teve com ela, que ela havia vindo e lhe desejado sorte, lhe dado um beijo no rosto e dissera que iria partir, partir para um lugar melhor, e que pediu para os anjos para que pudesse se despedir de seu filho.


Gustavo Janebro da Cunha - Franco da Rocha/SP
( gustavo_etec@hotmail.com )

Nanda³ disse...

Minha mãe me contou essa história quando eu era pequena, foi em um dia chuvoso e ela sempre trabalhava. ENFIM Amor de mãe??? Bom uma vez uma mãe foi pegar seu filho na escola, mais por algum motivo quando foi na volta o filho lembrou que havia esquecido seu brinquedo favorito la, então quando voltaram para buscar a mãe só conseguiu achar vaga em uma área não muito segura ali perto, porém quando ela finalmente achou o brinquedo ouviu um estrondo enorme, quando voltou um caminhão havia caido em cima do carro, a mãe entrou em desespero e com toda a sua força colocou as mãos no caminhão e o levantou, tirou seu filho dali e então receberam socorro das pessoas que estavam no local até os médicos chegarem...
MORAL DA HISTÓRIA: Nossas mães quando veem que estamos em perigo não se importam com oque aconteça ou oque elas terão de enfrentar, fazem de tudo para nos salvar desde passar anos tentando salvar seu filho das drogas até mesmo levantar um carreta quase 25 vezes o seu peso.
DETALHE:Quando finalmente minha mãe ficou comigo eu disse que tinha medo de perde-la e ela falou que UM FILHO PERDER A MÃE É A LEI DA NATUREZA, AGORA UMA MÃE PERDER UM FILHO É A DOR MAIS INSUPORTÁVEL QUE ALGUÉM PODE SENTIR.

Fernanda Cordeiro da Silva dos Santos-Curitiba/PR
fernand_santos@hotmail.com

Ester rezende martins disse...

A história desta família está tocando numerosos corações em Arizona. Os trabalhadores do hospital vêem desde segunda-feira a chegada de inesperados e anônimos presentes, cartas e cartões para a pequena Verônica.Faz um tempo lhe diagnosticaram câncer aos seios, submeteu-se a um tratamento e a enfermidade pareceu recuar. Em junho passado se confirmou que Verônica tinha câncer novamente e além que estava grávida da menina que sempre quis.

“Poucas semanas depois que descobrimos o câncer, ela disse que ‘se eu morrer, cuida do bebê’. Me assustou muito”, lembra Aarón, seu marido faz 21 anos, em declarações ao jornal Yuma Sun de Arizona.

“Estava contrariada, mas sempre confiou mais em Deus do que eu. Pedia-me que não me abatesse: ‘vamos ficar bem. Você tem que ser mais firme’”, lembrou.

Quando os médicos lhe sugeriram abortar, o casal considerou a proposta mas Verônica mudou de idéia.

“Um dia depois ela disse ‘Não. Deus me deu e Ele sabe por que’”, assinalou Aaron. Em julho, o câncer já estava nos ossos, a dor era muito intensa e o desenlace era iminente. Deveu ser transladada de Yuma ao Centro Médico Banner Good Samaritan de Phoenix.

Logo caiu em coma e em 7 de agosto os médicos declararam sua morte cerebral.

Aarón decidiu cumprir a promessa que fez à sua esposa e aceitou mantê-la conectada ao respirador até que sua filha pudesse nascer. Embora os médicos queriam prolongar a gravidez até meados de outubro, uma forte infecção atacou o corpo de Verônica e deveu adiantar o parto.

No domingo, Aarón recebeu a sua filha (ver foto) e um dia depois retiraram as equipes do corpo de Verônica. A bebê nasceu com 30 semanas de gestação e pesou pouco mais de um quilogramo. Foi batizada como Verônica Destiny em comemoração à sua mamãe. Embora seu estado é delicado, os médicos confiam em que sobreviva.

“O último desejo que me legou minha esposa foi ‘Cuida da bebê’. Foi uma decisão muito difícil de tomar, mas lhe fiz uma promessa à minha mulher, e vou cumprí-la”, sustenta Aarón.

Aarón e Verônica se conheceram quando tinham 17 e 15 anos de idade respectivamente. Ela trabalhava em uma fábrica que produzia garrafas de plástico, e Aarón trabalhava como supervisor da mesma companhia em manutenção das máquinas.

“Realmente, era a moça mais bonita do mundo”, recordou. “Minha esposa é uma dessas pessoas que sempre me puxava para melhorar, uma mulher muito firme, mas sempre muito feminina, gentil e delicada”, assinalou Aarón.

Durante todo este tempo, Aarón viajou semanalmente de Yuma a Phoenix para visitar Verônica. “Embora lhe falava, rezava com ela e segurava a sua mão, sei que não está ali. Sei que a sua alma está em algum lugar melhor”, disse Aarón.

Insano disse...

Vai aprender a escrever...

Andre_Pipoca'N'Refri disse...

Lia sempre quis dar a luz, mas após se divorciar achou que seria impossível montar uma família de novo. Em um dia calmo e chuvoso um barulho vindo do quarto chamou sua atenção, quando ela chegou lá havia um homem muito bonito com trajes escuros, ela se assustou mas a porta imediatamente fechou, ele pediu para ela não gritar e se acalmar, disse-lhe que era um ser muito poderoso e que poderia dar um filho a ela, mas aos 16 anos iria o buscar, ela aceitou sem pensar duas vezes, e desmaiou. Nove meses depois ela teve seu bebê, todos ficaram espantados com a mulher sem marido, mas a maioria acreditava que ela havia se descuidado. Ela cuidou do menino com todo seu amor, foi a melhor, mãe do mundo, o garoto a amava mais que tudo. Aos 16 anos uma pessoa o seguiu da escola até a casa, sua mãe se desesperou e pegou uma faca na cozinha, quando chegou na sala a figura sinistra estava lá, na frente de seu filho, o chão se abriu subitamente e a figura caiu puxando o menino. A mãe correu e saltou ao chão, segurou o filho pela cintura e não o soltou, de repente mãos monstruosas seguraram seus braço, o menino segurou no sofá e conseguiu se soltar, mas ao se virar viu a cena mais aterrorizante de sua vida, sua mãe sendo puxada para o inferno. Ela o olhou pela última vez e o mandou não confiar em ninguém, então deu um último grito e se foi enquanto o chão se fechava. O garoto foi interrogado e levado à um internato com o dinheiro da faculdade. Anos depois viveu sua vida normalmente, até desaparecer. Só encontraram um pedaço de papel escrito, onde dizia "Ela virá me buscar".

HF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fredão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fredão disse...

Contam que:No interior de Minas, em um velho casarão, que um dia foi uma nobre propriedade de de um nobre fazendeiro de café, vivia uma mulher viciada em café, e seus dois filhos, um de 8 anos, outro de 10, a mulher era tão viciada em café que raramente dava atenção para seus filhos, que viviam sujos e sem o que comer, até que um dia o mais velho perguntou enfurecido para a mãe "Mãe, porque você gosta mais de café que de nós?" a mulher não sabia o que responder, no entanto, depois de alguns dias, o irmão mais novo sumiu, e a mulher veio em direção do filho que a fez essa pergunta e respondeu "Porque café tem um gosto melhor".
Reza a lenda que o mais velho ainda é vivo, e se trata de um senhor de idade com "alguns" problemas psicólogos, e não pode ver café na sua frente.

cidade natal Jacareí-SP

Chef Diandra Elisa disse...

''O filho sofria de esquizofrênia e tinha ataques de raiva frenquentes, nesses ataques ele sempre acabava ferindo alguém e os vizinhos chamavam a polícia. A mãe sempre mentia que era alcolatra para proteger o filho e dizia que havia se descontrolado. O filho tinha mais e mais ataques e a visita de polícia se tornava frequente,já que os vizinhos ficavam preocupados. Um dia a polícia parou de vir.
A mãe havia costurado a boca dos vizinhos.''

Diandra Elisa
Caxias do Sul - RS

Rab's disse...

Um dia eu cheguei em casa totalmente drogado, era comum pra mim mas naquele dia eu tinha exagerado. Eu tinha acabado de fazer 18 anos e tinha largado a faculdade no segundo semestre, sem planos pra voltar, e estava sem trabalho. Passei direto pelo quarto do meu pai e fui para o meu, que era no fim do corredor. Eu deitei no chão do quarto e fiquei pensando no que eu tinha feito e no quanto a minha vida poderia ser melhor se eu tivesse mais juízo.
Foi aí que a minha mãe entrou no quarto e me viu naquele estado lamentável, coberto com o meu próprio vômito e jogado no chão como um mendigo. Ela sentou na minha cama e me deu a maior lição de moral da minha vida, ficou quase uma hora falando o quanto estava triste por minha causa e que eu deveria fazer algo útil com o meu tempo. Ela falou e falou até eu cair no sono, ali mesmo no chão.
Quando eu acordei fui me lembrando do discurso dela aos poucos e comecei a chorar. Chorei por horas, sentindo vergonha do que eu tinha feito e muito medo também. Minha mãe estava morta há 3 anos.

rabaneristo@gmail.com

Curitiba - PR

lua disse...

Caso mais bizarro só assistir a série true blood em que um lobisomem morre e a mãe luta incasavelmente para achar o corpo do filho e depois ela se tranbsforma em lobisomem para devorae suas visceras, mãe canibal e lobisomem.
Campo Grande-MS
email: luhlove92@gmail.com

Karen disse...

02/09/2009
Mãe morre a tiros para defender a filha da ira do ex-namorado

Na ocasião, a mãe dela, Cleonice Ferreira Santos, foi atingida com três tiros na cabeça, e morreu na hora. Segundo a polícia, Cleonice se jogou na frente da filha para evitar que ela fosse assassinada. O acusado está foragido.

Karen disse...

Ah meu email é Karen.poli@yahoo.com.br esqueci de por U_U

Bia Anorexic disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatriz Andre disse...

A historia de uma mãe que por amor ao filho mais novo,matou o marido e os pais dela,pelo simples fato de todos darem um apelido ao filho caçula.

Bianca disse...

O caso da minha mãe! por ter colocado uma criatura como eu no mundo !

Email: biancarmenezes@gmal.com / Campos dos goytacazes-Rj

W.R disse...

Uma mãe saiu para passear com os 2 filhos numa montanha, chegando lá um puma (leão da montanha) atacou os 3... ela quebrou um galho de um tronco seco que tava caído no chão.. mesmo sendo gordinha e do tipo sedentária ela matou o puma enquanto os irmãos fugiam... mas morreu pelos ferimentos.. (vi num documentário do "Nat Geo" ou "Animal Planet"
Ela deu a vida pelos filhos... quem garante que ela ainda não os protege como a mãe do filme MAMA?

W.R disse...

Uma mãe saiu para passear com os 2 filhos numa montanha, chegando lá um puma (leão da montanha) atacou os 3... ela quebrou um galho de um tronco seco que tava caído no chão.. mesmo sendo gordinha e do tipo sedentária ela matou o puma enquanto os irmãos fugiam... mas morreu pelos ferimentos.. (vi num documentário do "Nat Geo" ou "Animal Planet"
Ela deu a vida pelos filhos... quem garante que ela ainda não os protege como a mãe do filme MAMA?

Nome William Rafael... Cidade Angra dos Reis...

W.R disse...

Email: williamfael@hotmail.com

Matheus --- #18 disse...

Okay...já que é só uma frase e não uma história...

Conheci uma menina, cuja mãe matou o pai e casou-se com o amante só para a filha não sofrer com as brigas entre o casal. (história verídica).

mattaa2008@hotmail.com
Goiânia - GO.

ana carolina augusta comar barbosa disse...

Muitos de meus amigos vivem criticando suas mães, mais só dão valor à elas quando elas se ''vão'' , por isso dou muito valor à minha, porque quando ela se for vou estar com a consciência limpa.

Amor de mãe é renúncia, é seguro, é calento, é temor, é querer dar a própria felicidade pela felicidade dos filhos.♥♥♥♥♥♥♥♥

ana.carolina.augusta.comar.barbosa@gmail.com
cidade:Praia Grande - Litoral de São Paulo.

L.S.Siqueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe disse...

Este caso aconteceu nas estradas daqui de Minas Gerais.
Uma mãe e sua filha viajavam juntas em seu carro. Em uma parte cheia de curvas e bem alta da rodovia, ao freiar, o carro perdeu seu freio e caiu da ribanceira. Ele capotou várias e várias vezes.
Enquanto isso, próximo ao local do acidente havia um posto da polícia rodoviária. Uma mulher apareceu lá, desesperada, contando sobre o acidente que havia acabado de acontecer e pediu por socorro. Ela disse que conseguiu escapar e que a filha estava presa dentro do carro. A mulher estava num estado deplorável, disseram os policiais. Ela indicou o local e eles foram ao resgate da garota.
Uma surpresa aconteceu quando os policiais chegaram ao local do acidente: A mulher que os chamou estava morta dentro do carro. A filha foi resgatada com segurança.
Fico impressionado como o amor verdadeiro de uma mãe pode durar até depois da vida. Eu realmente acredito nesse caso XD
Felipe Marques Fraga - Belo Horizonte MG
ifi1313@hotmail.com

Understood. disse...

Uma ex-melhor amiga minha assassinou a mãe, pois era apaixonada pelo irmão mais velho e não queria que a mãe soubesse. Hoje a garota tem por volta dos 15 anos e está na Fundação Casa.

lu_elisabete@hotmail.com
Guarujá - SP.

brenda pinheiro disse...

Essa história real aconteceu no Japão, quando um mãe preferiu sacrificar sua vida para salvar o filho durante um terremoto. Quando só restavam ruínas, os bombeiros procuravam sobreviventes em meio aos destroços, acabaram encontrando o corpo de uma mulher em uma posição estranha.

Ao se aproximar viram que seu corpo estava debruçado, enquanto sua mãos apoiavam algo que não conseguiam enxergar. A casa havía caído em cima da mulher. O líder da equipe de resgates se aproximou cada vez mais do corpo, na expectativa de que a mulher estivesse viva, porém sem sucesso.

Quando a equipe já estava indo embora, como por pressentimento, o líder da equipe resolveu voltar e olhar novamente a mulher. Ajoelhado através das pequenas rachaduras, ele gritou para seus colegas que havia uma criança lá. Ao resgatar a criança, descobriram um menino de 3 meses enrolado em um cobertor abaixo do corpo da mulher.

O menino, filho da mulher encontrada, estava carregando junto ao cobertor um celular, no qual havia um mensagem da mãe para a criança que dizia: “Se você puder sobreviver, você deve se lembrar que eu te amo.”

O menino sobreviveu, no momento em que foi encontrado estava dormindo, seguro sob o corpo de sua mãe.
Brenda.jaragua@hotmail.com Guarulhos-sp

Cic Webs disse...

Acho que não existe caso mais inusitado que o caso Kurim, a mãe canibal.
http://medob.blogspot.com.br/2013/03/o-terrivel-caso-kurim-mae-canibal.html
São Paulo - SP - gabiciccio@hotmail.com

Porra e.e disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bipolar disse...

A mãe visita frequentemente na cadeia o assassino de seu filho, que era seu melhor amigo , mas a mãe sabia que se vivo perdoaria , e ela também o perdoou por amor ao filho.

a_patrian@hotmail.com
São josé do rio preto-SP

Chrystine Martins disse...

Teve um caso em que a mãe tinha problemas mentais. Um dia em quanto seu marido trabalhava, ela afogou seus dois filhos e depois os puseram à mesa á espera do marido para jantarem.

Rio de Janeiro - starchrys@hotmail.com

Victor disse...

A viúva-negra, que matou o marido pra poder casar com o filho.

Mauá - SP

jv.rebirthing@hotmail.com

Thiagoo disse...

"A fêmea do piolho do mar, não tem a chance de ver sua família crescer, pois no período de gestação as dezenas de filhotes a comem por dentro para sobreviver assim quando a casca dela se rompe ela acaba morrendo. Essa mãe acaba fazendo o maior sacrifício para que os filhotes tenham vida."
Da a própria vida pelos filhos, e no caso, todas as mães fazem isso... é muito amor.


Thiago_maia95@hotmail.com
Recife - PE

Thays Lacourt disse...

uma prima minha, há um tempo atrás, brigou com a mãe e acabou por bater na própria mãe. A mãe por sua vez ficou sem reação e não revidou, ficando com o rosto completamente machucado. apesar da filha a desprezar a esse ponto, a mãe ainda a amava e apenas disse : isso vai ter volta. e foi embora. na ida pra casa minha tia morreu de coagulo no cérebro. uma semana depois minha prima andava totalmente pra baixo dizendo ver coisas e ouvir a mãe cantando pra ela. ela dizia que a minha tia a queria levar embora que queria que as duas ficassem juntas e que ela perdoava a minha prima. no dia seguinte minha prima morreu também de coagulo no cérebro. Pois é, não tem nada maior que amor de mãe.

[ Thays_Lacourt@hotmail.com ]
Nova iguaçu, RJ

Viine Roberto disse...

Minha cadela poodle deu cria há dois dias a 3 filhotinhos. (2 brancos e 1 preto)
Todos aparentemente saudáveis, porém, ontem à noite quando cheguei do trabalho, percebi que tinham apenas dois filhotes (1 branco e 1 preto)... Revirei o quintal todo pra ver se achava pelo menos algum rastro do branquinho perdido, mas não achei.
Moral da história: Nunca confie em um cachorro preto.
Vinícius - Sorocaba - SP - vinicius.santos372@etec.sp.gov.br

Cleydson Pacheco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Porra e.e disse...

O caso ocorreu em Primavera-Pernambuco, Numa noite um onibus que vinha com alunos da escola de Escada-PE, desceu uma ribanceira enorme, o motorista tentou frear, mas a pista estava muito molhada, pois estava chovendo muito, dai o onibus caiu num rio, no qual muitos morreram, mas uma mae que estava com seus dois filhos dois meninos um de 3 e outro de 5,subiu no onibus, colocou os dois filhos nos braços, e nao deixou que nada acontece-se com eles, a agua estava no seu pescoço, mesmo com ela em cima do onibus, mesmo assim ela nao soltou seus dois filhos, e após horas, ela foi socorrida..

Herik- Palmares-PE - herik.rodrigo@hotmail.com

Fernando Montuan disse...

Houve um dia quando eu era pequeno, que estava brincando no meu quarto quando ouvi minha mãe me chamando da cozinha. Desci então as escadas para ver o que ela queria e quando eu estava correndo pelo corredor em direção a cozinha, a porta do armário que havia debaixo das escadas se abre e uma mão se estende e me puxa violentamente para dentro. Era a minha mãe. Sua mão tapava forte minha boca, me lembro até hoje daqueles seus olhos. Nunca havia visto ela com tal expressão. E sem dizer mais nada, apenas sussurrou no meu ouvido:

"Não vá para a cozinha. Eu também ouvi.”.

Guarulhos - SP
nando_montuan@hotmail.com

Brunna P. disse...

A mãe, uma bêbada, largou sua filha á vida, ainda pequena, teve que aprender a se virar como podia. Aprendeu a conviver com cães, o nome dessa garota e Oxana, aconteceu na Ucrânia, por volta dos anos 90. Aos 8 anos, foi qnd uma mulher a viu com comportamento de cão: andava de quatro, latia, rosnava, bebia água diretamente das fontes e quando se molhava, sacudia o corpo inteiro tal como fazem os cachorros, então levou a menina para um abrigo, até hoje dizem que quando está sozinha, tem distúrbios e haje como um cão. A mãe nunca foi atrás dela.

Sumaré - SP, brunna.pescarollo@aedu.com

Rapozinha Thabi disse...

Uma mulher como outra qualquer, bem casada e com duas filhas. Um dia o homem as abandonou e ela que estava acostumada ao bem e bom da vida, teve que lutar para criar suas meninas. Acordava muito cedo e voltava muito tarde, seu trabalho era duro e pagava pouco, mas esta mulher nunca reclamava , era dele que conseguia pagar a escola de suas filhas...e nunca mais teve nenhum outro homem, pois sua vida foi dedicada as meninas.

As duas meninas cresceram, estudaram, casaram e seguiram suas vidas.
Uma dessas meninas é minha mãe e a história desta mulher era a minha avó. Foi guerreira e apesar de todas as brigas que tive com ela, minha avó morreu no final do ano passado co 81 anos e morava com a gente. Admiro muito minha mãe mas minha avó merece todas as homenagens

Thabi Almeida RJ thabi0@hotmail.com ou thabialmeida@hotmail.com

Victor Dias disse...

Super na expectativa pra ver esse filme,não conheço nenhuma história sobre o assunto mas bem..boa sorte pro resto da galera!

Kevin Willian disse...

Uma mãe matou o filho de 6 anos e a filha de 1 ano e 7 meses com uma serra elétrica. Ela degolou a cabeça do garoto e a garotinha tinha um profundo ferimento na garganta. Isso aconteceu aqui em Jundiaí,mesma cidade do Caue Moura.
Minha mãe trabalha com a atual esposa do pai das crianças mortas,ele disse que a mulher dele tinha envolvimento com magia negra. E meu professor de sociologia é psicólogo na cadeia de Francisco Morato e disse que essa mulher nunca mais vai sair da cadeia pois ela tem esquizofrenia e até agora não apresentou nenhum sinal de mudança.

Isso é verídico,e é possível encontrar a notícia em vários sites e até mesmo as imagens das crianças

Kevin Willian Primo de Moraes
Jundiaí - SP
kevinbrisado@gmail.com

Cleydson Pacheco disse...

Uma historia que eu ouvir da minha avo ja falecida :(
Uma mulher estava sendo ameaçada pelo marido e ninguém sabia ae um dia ela resolveu contar para minha avo e minha avo chamou imediatamente a policia so que a mulher implorou para naum chamar,e ela chamou msm assim depois que a mulher foi embora,quando a policia chegou a mulher estava morta ao lado da sua filha ainda viva querendo mamar na mae quase morta! infelizmente a mae morreu! Manaus-Am cleydson_c.t.p@hotmail.com

Eduardo Thomé disse...

Não faz muito tempo que eu escutei essa história bizarra que aconteceu com a família de um amigo de um amigo meu...

Uma futura mamãe estava grávida de seu filho - Mike era seu nome. Durante toda a gravidez, ela sempre foi extremamente apegada a criança e a criança parecia igualmente ligada à mãe. Sempre que ela acariciava ou falava com sua barriga, o feto parecia sentir e responder.

Infelizmente, aproximadamente aos 8 meses de sua gravidez, a mulher sofreu um terrível acidente de carro. Ela sobreviveu, mas a criança foi dada como morta. Aquilo foi demais para a amorosa alma da mãe suportar e ela recusava de todas as formas em aceitar esse fato.

Sendo assim, ela continuou agindo como se ainda estivesse com um filho com vida em seu ventre. O acariciava e falava com ele, apesar de nenhuma resposta ser dada - "Não se preocupe, meu bebê, Mamãe fará qualquer coisa por você."

Algumas semanas depois, a mulher foi levada ao Hospital alegando estar sentindo as dores do parto. Para o espanto de todos, a criança dada como morta se preparava para nascer à medida que a mãe sentia as dores e as contrações do parto.

Na sala de cirurgia, a mãe deu sua vida para a criança que nascia saudável. Alguns dizem que sua esperança e amor deram vida a criança... Alguns mais maliciosos dizem que tudo na verdade não havia nada de "milagroso"... Muito pelo contrário...

Bons Pesadelos!

_______________________________
Eduardo Andrade Lima Thomé

eduardo_thome@hotmail.com
Recife - PE

Natan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Naná disse...

A Polvo fêmea esconde os seus ovos em um buraco para que os predadores não os devorem. Como ela não sai de perto nem para caçar, ela se alimenta dos próprios tentáculos. Como o processo de maturação do ovos pode demorar muito tempo, a polvo fêmea acaba morrendo de fome. Quando os ovos eclodem, a mãe serve como alimento primário para os filhotes, que também se alimentam mais tarde de plâncton e algas.
___________________________
Nayara Santos (nana.wsantos@gmail.com) - Brasília

Keevyn ZINXS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcely Silva ( Bióloga e Educadora Ambiental) disse...

Quem já não assistiu o filme OS OUTROS? para mim, a melhor história de um bizarro amor de mãe.
Durante a 2ª Guerra Mundial, Grace (Nicole Kidman) decide por se mudar, juntamente com seus dois filhos, para uma mansão isolada na ilha de Jersey, a fim de esperar que seu marido retorne da guerra.Eles vivem sozinhos seguindo estranhamente hábitos justificados pela mãe como uma estranha doença,que os impedem de receber diretamente a luz do sol, a casa onde vivem está sempre em total escuridão,até que a vinda de empregados causa estranhas visões e aparições através das crianças, que no final,descobrem estar todos mortos,pois com a ausência do pai, a mãe não aguenta conduzir a família e decide asfixiar as crianças e cometer suicídio.

Keevyn ZINXS disse...

Essa história aconteceu comigo (Kevyn Cardoso) faz quase dois meses que meu pai faleceu,dia 7 de Fevereiro, lembro que senti um medo muito grande, estava falando com minha namorada no skype e me ligaram dizendo que meu pai tinha tido um ataque cardíaco e havia falecido( ele não morava mais comigo) eu entrei em choque e fui falar com minha mãe, ela começou a chorar comigo, eu precisa ir ver meu pai, eu pedi para meu padrinho irmão da minha mãe me levar até onde meu pai estava, minha mãe queria ir junto, mas eu não permiti, quando cheguei na casa dele, as pessoas rodeavam o corredor que ia pro quarto do meu pai, foi a pior cena que eu podia ter visto em toda minha vida, meu pai não fumava nem bebia, eu havia falado com ele no mesmo dia em que ele havia morrido, ele faleceu eram mais ou menos 00:15hrs mas algo que me partiu mais meu coração alem do meu pai morto, foi minha vó ao lado do corpo do meu pai, ela passava a mão no rosto dele, e falava que ele ainda estava vivo, que ele tava quente ainda, e ela falava que ele só tava dormindo, ela tentava se consolar de que aquela só era um pesadelo, ela beijava a testa dele enquanto eu estava ajoelhado na cama onde meu pai estava deitado, eu nunca vou esquecer dos olhos da minha vó para com o filho dela, eu vi dentro dos olhos dela, toda a dor que uma pessoa podia sentir.

Marcely Silva ( Bióloga e Educadora Ambiental) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcely Silva ( Bióloga e Educadora Ambiental) disse...

Quem já não assistiu o filme OS OUTROS? para mim, a melhor história de um bizarro amor de mãe.
Durante a 2ª Guerra Mundial, Grace (Nicole Kidman) decide por se mudar, juntamente com seus dois filhos, para uma mansão isolada na ilha de Jersey, a fim de esperar que seu marido retorne da guerra.Eles vivem sozinhos seguindo estranhamente hábitos justificados pela mãe como uma estranha doença,que os impedem de receber diretamente a luz do sol, a casa onde vivem está sempre em total escuridão,até que a vinda de empregados causa estranhas visões e aparições através das crianças, que no final,descobrem estar todos mortos,pois com a ausência do pai, a mãe não aguenta conduzir a família e decide asfixiar as crianças e cometer suicídio.
Ops esqueci de por meus contatos, Marcely Silva são paulo,rocker_cely@hotmail.com

David Alves Mendes disse...

As vezes não existe amor de mãe, existe o medo da perda. Você possui um apego, um carinho, uma afeição tão grande por tal pessoa que começa a ter uma grande obsessão pela mesma, e junto vem aquele medo de perdê-la. Essa obsessão e esse medo são como uma loucura interna, uma loucura oculta que se revela quando você se depara com a perda dessa pessoa... toda sua sanidade se vai junto com ela, e você se vê incapaz de continuar vivendo, mas também é capaz de fazer qualquer coisa pra estar junto novamente dessa pessoa, e quando digo qualquer coisa... realmente é qualquer coisa...!

Email: davidalvesmendescontato@gmail.com
Twitter: @davidamendes
Cidade: Itapipoca-CE

Cindy Cristine disse...

Algumas semanas após eu nascer, minha mãe, estava na rodoviária comigo nos braços,e uma moça empurrou ela na hora em que ela subia no ônibus, eu acabei caindo dos seus braços, e fui parar embaixo da roda ônibus. Em um momento de desespero, ou instinto, minha mãe se jogou em baixo do ônibus, para me proteger. Por pouco a roda não me atingiu e a ela. Não me lembro disso e nem seria possível, mas toda vez que escuto essa história, sinto o quanto o amor de mãe, é grande e intenso.

________________

Cindy Cristine, Curitiba - (cindy.cristine@live.com)

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Uma garça bica seu proprio corpo para alimentar seus filhotes com o seu sangue.

Jéssica Dias
Mogi Guaçu- SP

Unknown disse...

Jessica Dias
jessicarolinedias@yahoo.com.br

ConexaoLog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ConexaoLog disse...

Ouvi essa que ocorreu em 2010 na Flórida, um menino decidiu nadar no rio que corria atrás de sua casa.Tudo parecia normal quando a mãe do menino reparou que um crocodilo se aproximava de seu filho,então ela gritou alto ,ele até ouviu e nadou rápido,mas já era tarde demais, o crocodilo havia lhe alcançado.
A mãe, em total desespero para salvar seu filho, atirou-se no rio. Quando o crocodilo abocanhou as pernas do garoto, a mãe agarrou-o pelos braços. A mãe, usando todas as suas forças, lutou contra o crocodilo para salvar a vida de seu filho. O crocodilo era forte, tentava arrastar o menino para o fundo do rio, mas a mãe não desistia, não parava de lutar.
Naquele instante passou por ali um caçador. Ao ver a luta desesperada da mãe com o crocodilo, sacou sua espingarda e, com um tiro certeiro, matou o crocodilo. A mãe trouxe o filho até a margem e levou-o o mais rápido que pôde ao hospital. O menino, apesar dos graves ferimentos nas pernas, sobreviveu e depois de alguns meses voltou a andar normalmente.
Quando eu li essa história achei sinistro, mas amor de mãe supera barreiras e até seus maiores medos.

Felipe Scaramella / Curitiba-PR fe.scaramella@gmail.com

Kratos27 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kratos27 disse...

Vocês já ouviram falar que uma mãe é capaz de tudo por um filho, mas vocês já viram isso?
Na natureza, quando o leão está com fome ele come os próprios filhotes para se saciar, e a leoa os protege, tem casos de leoas que mataram o leão pelo bem dos próprios filhotes, mas, vocês já viram um caso humano disso?
Algum tempo atrás,havia uma família de cinco pessoas, um pai, uma mãe, e três filhos, todos eles foram viajar para uma montanha onde tinham um chalé, passaram diversos dias lá, até que o filho menor foi brincar perto de uma área de risco, um lugar famoso por suas avalanches, o irmão mais velho viu isso e correu atrás do seu irmãozinho, mas nisso com seu grito para atrai-lo, causou uma avalanche.
O resto da família foram busca-los, após dias encontraram os dois dentro de uma caverna que havia sido fechada pela avalanche, quando entraram, após um dia escavando, todos estavam aflitos, mas, para a pior situação, o mais novo já estava morto, então cuidaram do mais velho e quando iam tira-los de lá, ocorre outra avalanche e todos ficam presos,
semanas se passam e acabam ficando sem suprimentos, quando o pai tem uma ideia, comer o filho mais novo para não morrerem de fome, já estava morto mesmo, então a mãe se opõe, o pai joga ela de lado e quando vai tirar um pedaço, recebe um golpe de uma pá na cabeça
e morre na mesma hora.
Horas depois eles são resgatados, a mãe, os dois filhos, e os corpos do filho mais novo e do pai, e quando perguntaram por que ela não deixou, ela disse:
"Eu ainda sou sua mãe. Que mãe ia querer ver seu filho ser devorado? mesmo morto e enterrado um filho sempre será um filho para sua mãe."

Nome: Bruno Alves de Moraes Melo
Email: bruno_27_1_95@msn.com
Cidade: São Paulo/SP

Ame disse...

Mãe não é só aquela que nos dá a luz, todos sabem. Mas aquela que cria por amor, antes de tudo, afinal, parir uma criança é muito fácil, cuidar com amor é difícil. Em minha casa, possuo muitos animais, gatos, cães, ratos. Uma de minhas gatas deu cria, e a mãe gatinha só cuidava de duas branquinhas, a filhotinha pretinha ela não ligava. Minha cadela chamada Lilith a adotou e teve gravidez psicológica, criou um leite próprio e cuidou da gatinha até ela ficar uma gatona linda. E o amor pela gatinha como se fosse sua filha dura até hoje, mesmo depois de castrada e a gatinha já grande. Dentro dessa mesma história, tem a da minha mãe humana, que ama todos esses animais como filhinhos dela, como meus irmãos. Muitas vezes abrimos mão de caprichos nossos para dar aos nossos pequenos. Acredito que o amor de mãe por filhos não gerados nosso, seja as vezes até maior, porque você escolhe amar, não se obriga <3 Rio de Janeiro, Jéssica. themaddyness@hotmail.com

Mariana GA Origuela disse...

Eles sempre foram um casal feliz. Quando ela engravidou foi uma festa imensa de ambas as partes, pois um filho era tudo que sempre sonharam. Porém, eles viviam no sítio e não tinham os recursos necessários para as consultas e para fazer ultrasons.
Numa noite, quando ela estava mais ou menos de seis meses de gravidez, ela estava sentada numa rede e começou para as pernas fortes e bem definidas do marido. Ela sentiu um desejo incontrolável de comer um pedaço da carne daquelas pernas, sentir o sangue escorrendo pelo canto da boca enquanto ela mastigava aquela textura macia.
Ao pedir pela primeira vez o marido quase desmaiou. Se negou de todas as formas, enquanto ela insistia com lágrimas nos olhos e a boca cheia d'água. Quando ela notou que ele não faria de forma alguma a sua vontade, ela usou do seu último argumento na esperança de convencê-lo:
"Não é para mim, eu te nunca pediria algo assim PARA MIM. É para o nosso FILHO."
Ainda que a contragosto, o marido consentiu e foi até a cozinha. Cortou na frente da esposa um bife de sua perna e lhe entregou.
Ela se deliciou como criança com seu doce favorito. Quando acabou, ela olhou para o marido e disse que o bebê queria mais. Ele achou um absurdo, mas acabou sedendo mais uma vez, pois ela sempre dizia que era para o filho. Mais uma vez ela se deliciou, comendo aquele pedaço de carne crua sem sequer olhar para os lados.
Mais uma vez, quando acabou, ela olhou para o marido e disse que queria mais. Nesse momento o marido ficou furioso, acreditando que a esposa estava brincando com a cara dele, enquanto ele sentia tanta dor. Quando ela foi dizer novamente que era para o filho ele se irritou tanto que deu um soco no rosto dela com tanta força que a fez cair da rede e bater a cabeça no chão.
Ao ver o sangue escorrendo da cabeça da mulher, ele ficou desesperado. Correu para dentro, pegou um cobertor e chamou ajuda para levá-la para o hospital. Os médicos tentaram de tudo para salvar tanto a vida dela quanto a vida da criança. Mas o mais impressionante foi que ao abrir a barriga dela, os médicos viram que o casal teria três filhos, e que um deles estava com a boca aberta esperando o seu pedaço da carne da perna do pai.
O marido tentou continuar com a sua vida apesar da tragédia que lhe tomou, mas não conseguiu. Dizem que ele foi assombrado pela antiga esposa até o momento em que perdeu por completo a sanidade e se enforcou onde ele no mesmo lugar onde naquela noite cortou pedaços da perna.

Mariana Origuela
São Paulo - SP

Andreia Alessandra disse...

As galinhas levam suas funções maternas bem a sério. Criar uma quantidade infinita de carbonato de cálcio para seus ovos é uma tarefa difícil, portanto, se as galinhas não adquirem cálcio o suficiente em sua dieta, elas literalmente dissolvem seus próprios ossos para criar habitações para seus bebês. Boa maneira de perder o peso da gravidez.

White Shadow disse...

Bem... O caso mais inusitado que conheço é o meu mesmo. Quando eu era pequenino, quanto eu dormia, eu respirava muito levemente, e por isso, eu parecia não estar respirando. Então minha mãe, com medo de me perder, gritava em frente ao meu rosto pra eu acordar, enquanto ela respirava aliviada de eu estar vivo. Desesperado, gritando de susto, mas vivo. xD

Thais Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Princess Braz disse...

Aparecida Braz - Belo Horizonte - cidabraz89@ymail.com
Sou mãe e amo meu filho acima de tudo e como acredito em vida pós morte, sei que vou continuar cuidando dele e punindo quem lhe fizer mal mesmo depois da minha morte, pois sei que continuará tendo um pedaço meu vivo aqui na terra, que é ele...

Eduardo Cirio disse...

Um caso mais inusitado de amor de mãe é ela se submeter ao parto, para dar a luz para um novo ser, uma pessoa pela qual ela se apaixona com um amor sem explicação.
Eduardo - guiplof@hotmail.com - Canoas/RS

Gabriel Rodrigues disse...

Creio que Mãe tem tanta importância para todos nós que não tem caso nenhum que justifique o seu total amor e carinho dedicados a gente. Seja no reino animal ou em qualquer lugar Mãe é um exemplo para todos , pela sua coragem , dedicação , amor , carinho e que são capazes de tudo por nós , Seu amor é incomparável com qualquer outro amor . Minha Mãe é meu exemplo de Amor e superação.

Gabriel Rodrigues
Gabriel.pl_rock1113@hotmail.com
Poá-SP

Ana Bayer disse...

Aquela mãe,possessiva.Aquela mãe,que ama seu filho.Aquela mãe,que segura seu bebê no colo cheia de orgulho.Aquela mãe ciumenta.Aquela mãe que daria a vida por seu filho,mas preferiu tirar a dele,quando o viu seguindo seu caminho negro.

Pedro! disse...

Uma mulher dá a luz à uma criança... Mais terde essa criança iria ser conheci...

buzz. Kill!

Majoris disse...

O caso mais inusitado que eu conheço de amor de mãe, é o que muitas mães não fariam. Uma mãe de 53 anos que aceitou ser barriga de aluguel para a própria filha que tinha câncer e não pode dar a luz ao filho. A avó deu a luz ao neto, pois ter um filho era o maior sonho da filha dela. Isso sim é amor de mãe... aguentar a gravidez e o parto de novo, só que aos 53 anos de idade.. é realmente chocante..

Thaís Nicodemo
thais.n.s_10@hotmail.com
São Caetano do Sul - SP

Maria Vitória disse...

Minha mãe , antes de eu nascer , já avia perdido um bebe , Uma noite em que ela conseguiu dormir , ainda chorando , sonhou. Nesse sonho ela sonhou comigo , Uma menina pulando corda , com marias-chiquinhas , E eu falei para ela : "Mamãe , não fica triste não , eu ainda vou vir pra você" , E foi assim , nove meses depois eu nasci , vim ao mundo , e assim sou grata por ela a cada vez que vejo ela , e não exito em falar , Eu te amo , mãe e sempre vou te amar . Minha mãe não pode ser diferente de qualquer umas das mães , mas ela é especial o bastante para ocupar uma enorme parte do meu do meu coração , espero que possamos passar mais tempo juntas antes dela partir , então eu gostaria bastante de ganhar um par desses oito pares de ingressos.

Maria Vitória Moura
mariavickmoura2012@hotmail.com
Campo gransde/MS

Maxx Unk disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thais Almeida disse...

Mãe pra mim é sinônimo de pânico, fui adotada com 3 dias de vida, e nunca soube quem é minha mãe de verdade, mas aquela a quem chamaria de mãe foi meu maior pesadelo, o último dia que a vi, foi quando ela foi a minha escola renovar o titulo de eleitor, eu tinha 13 anos, ela voltou e soube que eu escondi o dia da reunião de pais. Ela chegou no portão e me disse:"eu vou voltar pra escola, e se vc tirou nota baixa eu te prometo que hoje vou te matar", com um histórico de surras homéricas até eu desmaiar, não fiquei lá pra ver...nunca tinha pego um ônibus na vida, mas com o troco do pão eu peguei dois onibus.. e sempre perguntava pro passageiro ao lado,"o Tucuruvi está longe?", a pessoa confirmava que sim e eu respirava fundo de alívio. Nunca mais vi essa senhora. Quando me perguntam se eu tenho mãe eu suspiro triste e digo: "Não, ela morreu quando eu tinha 13 anos" (essa história é uma parte da minha infância)

Thais de Almeida
Contagem - MG
thaistarub@gmail.com

Pedro! disse...

oliveirapedro18@hotmail.com
Goiânia-go

Wal disse...

Então vocês vão ESCOLHER oito melhores comentários e não SORTEAR os ingressos.
FAIL

Isa Lins disse...

Só o fato de ser mãe, já apresenta um amor incondicional! Eu poderia citar tantas histórias... Tanto fictícias, como a de Harry Potter e sua mãe Lilian que deu a vida para salvar seu filho. Tanto comuns, como de uma amiga minha de 16 anos, que tem uma filha de 2, e faria qualquer coisa por ela, apesar de ser muito jovem. Tanto famosas, como a mãe do cantor Justin Bieber que largou as drogas para conseguir proporcionar uma boa vida para o filho, que na época era muito pobre. E até com os animais, como os pássaros, que fazem de tudo para proteger seus ovos e construir um bom ninho para abriga-los.
Enfim, eu poderia passar o dia inteiro falando de vários tipos de amor de mãe, mas resolvi falar de um em especial, que, na minha opinião é o mais forte de todos que eu já vi. Essa mãe nunca fez coisas milagrosas nem memoráveis, nem nunca passou por um apuro que merecesse sentir dó... Mas, se seus filhos precisarem de ajuda na lição de casa, ela vai dar até seu sangue para conseguir ensinar. Se sua filha fizer uma apresentação na escolinha, ela atravessaria meio mundo a pé, só para poder assistir. Se seu filho ficar doente, ela esquece todos os seus compromissos e trabalhos só para passar cada segundo de sua vida tentando cura-lo. São coisas simples, mas que fazem essa mãe a mais especial de todas. Eu amo essa mãe mais que tudo no mundo. Eu amo a minha mãe.

Isabelle Lins
São Paulo - SP
isaaaliiins@hotmail.com

Maria Fernanda Ramos disse...

a que eu me lembro até hoje e que nunca vou me esqueçer é a da criança de 1 ano que sofreu um acidente de ônibus e só sobreviveu porque a mãe a abraçou na hora do acidente.achei o link da notícia caso queiram ver se é verdade: http://terratv.terra.com.br/videos/Noticias/Brasil/4194-360026/Mae-morre-abracada-a-filho-durante-acidente.ht

Maria Fernanda
maria_fernanda_111@live.com
Rio de Janeiro, RJ

Max Siqueira disse...

quando tinha 3 meses de idade minha mãe me levou para morar omc a minha avó. eu não guardo rancor dela nem ódio na verdade nós somos muito amigos agora que eu cresci. minha mãe me contou que tentou me abortar 3 vezes devido a a mão dela (minha avó) bater nela constantemente por ter ficado grávida de mim.
Ela costumava me chamar de "câncer da família". agora mesmo depois de grande ela não gosta de mim. Devido ás tentativas de aborto nasci com uma doença chama "síndrome de vaso vagal" uma doença que levarei pelo resto da vida.

Max Siqueira
Goiânia - GO
maxvm.siqueira@gmail.com

Arthur Roedel disse...

Já ouvimos muitas histórias de mãe, mas uma que me emocionou muito foi da jovem italiana que preferiu continuar com a gravidez à salvar sua vida. Chiara Petrillo, de 28 anos, que já tentara por duas vezes ter filho, sem sucesso, aos cinco meses de gestação de sua terceira tentativa, teve diagnosticada pelos médicos uma lesão na língua, sendo mais tarde confirmada a hipótese de carcinoma. Chiara porém, junto ao marido, decidiu levar a maternidade adiante. Francisco nasceu sadio. Só após o parto, a italiana pôde passar por uma nova intervenção cirúrgica. Vieram os ciclos de químio e radioterapia. Infelizmente Chiara não conseguiu resistir por mais do que um ano.
Pensê-mos juntos: quem mais daria sua própria vida por alguém que nem conhece? Quem mais teria tanto amor?
É claro: só uma mãe!

Blumenau - SC
arthur_roedel@hotmail.com

Natan disse...

Anne, nasceu em 1975. Era loira, branca e tinha olhos verdes. Sabe, ela não era a unica de si mesma pois tinha uma irmã gêmea, elas eram inseparáveis. Faziam tudo juntas. "Seu nome era Alice, eu não sei bem o que aconteceu com ela, não sei se ela morreu, se está viva, se está bem, só sei que eramos como o lápis e o apontador, a flor e as abelhas, eu a amava muito…" Em 1987, elas tinham 12 anos, viviam com sua avó Eduarda, que vivia sozinha por causa da morte de seu avô, seu primo viajava muito a negócios, e sua a mãe…bem, ela faleceu quando Anne e Alice eram bem pequenas. Na verdade, ela fora assassinada por seu pai por um momento de ódio. Ele havia descoberto cartas de amor, escritas por ela para outro homem. Após feito o crime, esse havia se suicidado. Bem, isso de acordo com a polícia. Mas as irmãs sabiam que não havia sido bem assim. Algo havia se vingado do homem.
Na fazenda dos avós, tudo era fantástico, brincavam e corriam na chuva, ela se escondiam no milharal, brincando de esconde-esconde. Tudo perfeito, mas tudo mudou em uma noite de de fevereiro, dia 15. Estava chovendo muito, seu primo estava viajando e estavam sem comida, sua avó saiu para ver se encontrava alguma coisa.
"Queridas, vou sair para ver se acho alguma comida para nós, Anne, está responsável pela sua irma e pela casa, volto já!"
Anne sempre foi considerada a mais velha, mesmo tendo de nascer primeiro que Alice, esta falava que ela deveria ser mais velha, mais ela implorou para que tomasse conta. Naquela noite, ela estava assistindo TV, e Alice brincando com o cavalo no curral. "Me desculpem, não tenho detalhes para contar para vocês, não estava presente no…desaparecimento…de minha irmã, eu era uma irmã horrível! Deveria estar com ela". Sua avó Eduarda lhe dizia que não tinha sido sua culpa, mas continuava a rebater que era. A única coisa que Anne deixou pra trás foram vários fios de cabelo, como se tivessem a deixado careca! Depois de 11 anos sem Alice receber qualquer informação, em 1980, eis uma que lhe diz:
———————————————————————-
"Minhas queridas filhas, amo muito vocês. Tanto, que quando morri, não poderia deixá-las para trás. Já peguei Alice, volto para te pegar, minha querida Anne".

Rio de Janeiro - RJ
ncgaaran@gmail.com / puppeteermastersasori@gmail.com

Meu Blog disse...

Um dos casos mais significativos, com certeza, foi o que relatou a doutora Elisabeth Kubler-Ros.

No hospital onde trabalhava, encontrou uma senhora portadora de uma doença terrível e que já havia internada dez vezes.

Cada vez passava um período no centro de terapia intensiva e todos, médicos e enfermeiras, apostavam que ele iria morrer.

Contudo, após as crises, melhorava e voltava para casa.

O pessoal do hospital não entendia como aquela mulher continuava resistindo e não morria.

Então, certo dia, a senhora Schwartz explicou que o seu marido era esquizofrênico e agredia o filho mais moço, então com dezessete anos, cada vez que tinha um dos seus ataques.

Ela temia pela vida do filho, caso ela morresse antes que o menino alcançasse a maioridade. Se morresse, o marido seria o único tutor legal do filho. Ela ficava imaginando o que aconteceria com o rapaz nas mãos de um pai com tal problema.

?É por isso que ainda não posso morrer?, concluiu.

O que mantinha aquela mulher viva, o que lhe dava forças para lutar contra a morte, toda vez que ela se apresentava, era exatamente o amor ao filho.

Como deixá-lo nessas circunstâncias?

Por isso, ela lutava e lutava sempre.

A doutora, observando emocionada o sofrimento físico e moral daquela mulher, resolveu ajudá-la, providenciando um advogado para que aquela mãe, tão preocupada, transferisse a custódia do menino para um parente mais confiável.

Aliviada, a paciente deixou o hospital infinitamente agradecida por poder viver em paz o tempo que ainda lhe restava. Agora, afirmou, quando a morte chegar, estarei tranquila e poderei partir. Ela ainda viveu pouco mais de um ano, depois abandonou o corpo físico, em paz, quando o momento chegou.

A história nos faz recordar de todas as heroínas anônimas que se transformam em mães, em nome do amor.

Daquelas que trabalham de sol a sol, catando papel nas ruas, trabalhando em indústrias ou fábricas e retornam para o lar, no início da noite para servir o jantar aos filhos pequenos. Supervisionar as lições da escola, cantar uma canção enquanto eles adormecem em seus braços.

E as mães de portadores de deficiências física e mental que dedicam horas e horas, todos os dias, exercitando seus filhos, conforme a orientação dos profissionais, apenas para que eles consigam andar, mover-se um pouco, expressar-se.

Mães anônimas, heroínas do amor. Todos nós, que estamos na terra, devemos a nossa existência a uma criatura assim. E quantos de nós temos ainda que agradecer o desenvolvimento intelectual conquistado, o diploma, a carreira profissional de sucesso, a maturidade emocional, fruto de anos de dedicação incomparável.

Quem desfruta da alegria de ter ao seu lado na terra sua mãe, não se esqueça de honrar lhe os dias com as flores de gratidão. Se os dias de velhice já a alcançaram, encha-lhe os dias de alegria. Acaricie os seus cabelos nevados com a ternura das suas mãos.

Lembre a ela que a sua vida se enobrece graças aos seus exemplos signos, os sacrifícios sem conta, as lágrimas vertidas dos seus olhos.
E, colhendo o perfume leve da manhã, surpreenda-a dizendo: bendita sejas sempre, minha MÃE.


Rio de Janeiro-RJ
lucascandidomotadasilva@gmail.com

Edipo disse...

Pra que todos esses textos...
Eu conheço varias historias estranhas de amor de mãe
como o caso da mae que matou o filho, porque o filho arranjou uma namorada.

ou A mae amava tanto o filho que tinha Relações Sexuais com o Filho/Filha.. Mas isso nao importa

Voces querem saber.. a Mae ama seu filho pois ele/ela passou 9 meses dentro dela e para ela é como se o filho/filha fosse parte dela, o Filho(a) é uma parte que pode viver mais tempo que a mae.. a parte que ira viver para sempre



Édipo Reis

ediporeiss@gmail.com

Hortolandia/SP

Laysa Oliveira disse...

O amor de mãe começa no exato momento que ela descobre que está esperando uma criança que dependerá de seus cuidados e carinhos. Um ser tão desprotegido e inocente. Ali, ela opta em deixar de realizar alguns sonhos (a maioria) para dar toda a atenção e carinho. Ou seja, o amor começa nos primeiros chutes, nos enjoos, nas dores no corpo e todas as outras dores que a mulher aguenta com um "sorriso no rosto", pois a felicidade é tão grande que essas consequências se tornam coisas pequenas.
Aquelas que ainda tem que trabalhar para sustentar a familia, por exemplo, as mães solteiras, trabalham normalmente o dia inteiro e quando chegam em casa não se importam de cuidar da casa, dos filhos, dos cachorros.. enfim, de tudo, essas sim, são umas das maiores guerreiras do mundo, não só por realizar uma "função de mãe", mas porque fazem isso com alegria mesmo estando cansadas.
Não importa o quão difícil esteja a vida, as verdadeiras mães sempre estarão incentivando, ajudando, aconselhando, cuidando dos filhos. Criando uma pessoa de bem que vai enfrentar muitas dificuldades ainda nesse mundo injusto.
Na boa, mais amor que isso.. Acho que não existe.
A mãe é a unica pessoa que vai te ajudar sem querer nada em troca. No mundo em que vivemos, essa se tornou uma qualidade rara.

Rio de Janeiro - RJ
thais.santolin@hotmail.com

Christie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LUIZ RICARDO disse...

Uma história que me contaram já faz uns 10 anos de que,após uma morte repentina de uma mãe,o amor incondicional dela por sua filha fez com que ela encarnasse em uma boneca de porcelana que havia dado a sua filha quando ainda era viva,de acordo com a filha,boneca costumava aparecer em lugares diferentes da casa misteriosamente,ela afirmava a todos que mãe estava de alguma maneira ao lado dela,mais ninguem jamais viu esses acontecimentos apenas ela,e assim viveram suposta mãe e filha.Após sua morte por causas naturais a boneca foi cremada e enterrada junto a filha,seguindo um pedido escrito atras de uma foto.Uma foto um tanto perturbadora,pois a boneca que não tinha a face que se mexesse,por ser de porcelana,na foto estava com um sorriso,e de pé sem que nada a sustentasse.
Email: LUIZMETAL10@HOTMAIL.COM
São Paulo-SP

Yamath D disse...

Eu axo q a menina do filme da mais medo q o fantasma...inteligente a historia , curti o filme, n é 1 PUTAAAAA terror mas da uns bons sustos

Eduardo Nogueira disse...

Era uma vez o dia em que eu fiz raiva pra minha mãe. Ela jogou um tamanco no meu saco. Mijei sangue.

(É sério!)

eduardoncs@live.com
Manaus - AM

Gabriel C D disse...

o caso que a mãe amava o filho tanto que o matou, pois assim ele não seria de mais ninguém além dela, e o empalhou pra manter o corpo intacto!!!

Gabriel - Mairinque - gabriel.c.delgado@hotmail.com

Agradeço e espero ter a honra de desfrutar de um dos pares!!!

Victor Bruno disse...

ja ouvi uma historia de que a mãe de cortou uma parte da coxa do filho pra ele não passar fome

Victor - São Paulo - victricolor98@hotmail.com

Neko Martins disse...

Aquela história de uma mãe que engravidou de um de seus diversos amantes... Em uma noite fria, no interior da Inglaterra, ela abortou o feto com 4 meses. Por amar demais aquela "criança", tentou engoli-lá para novamente gesta-lá e te-lá viva em suas mãos. Esta mãe, desesperada, morreu engasgada em sangue, feto e amor.
Obviamente é uma história fictícia.
OU NÃO...

Senhorita ... (três pontinhos) disse...

Acho que um dos casos é aquela creepy pasta, onde um rapaz, um dia matou alguém por acidente, então resolveu jogar seu corpo no poço, no dia seguinte o corpo já não estava mais lá, depois disso, por várias vezes, o rapaz matou outras pessoas e sempre jogava os corpos no poço, de onde desapareciam no dia seguinte.
Até que um dia, matou sua mãe, por ela estar velha demais, então jogou seu corpo no poço, mas ele não desapareceu no dia seguinte, afinal era ela quem se livrava dos corpos, para que seu filho não fosse acusado pelos assassinatos.

Luiza tavares de moura disse...

Quando era menor morava em São Paulo, a capital, na maioria dos finais de semana eu e minha família íamos a um club, neste club avia varias mitos e lendas, e todas falam do local ser mal assombrado,uma delas falava de uma mãe que sempre passava por ali (antes do club ser construído)para pegar as filhas no colégio, sozinha ela ia e voltava caminhando pelo local.
Por infelicidade da mãe o único dia que ela não pode pegar as filhas(pois estava doente)ambas foram pegas na escola por um homem desconhecido que as garotas confundiram com um tio.
As garotas ficaram desaparecidas por semanas, a mãe se sentia culpada por tudo e rezava sempre pela proteção das filhas, porém logo foram encontradas as duas em pedaços.
Anos depois a mãe ia ver a passagem de um colega de suas filhas, o garoto iria ao que hoje seria o 9 ano, antes de chegar viu um homem parecido com o irmão de seu marido, o tal homem a olhou nos olhos e parecia a reconhecer cada passo mais perto a mão percebia que era um desconhecido, mas parecido com o homem que supostamente teria matado suas filhas.
Cada vez mais próximos a raiva começava a surgir em imaginar que ela estava cara a cara com o possível assassino quando o homem chegou perto perguntou'' você não tinha duas filhas?'', a mãe ficou enfurecida, mas não mexeu um centímetro sequer logo ele falou'' muito bonitas, eu queria você mas não apareceu''.Dominada pela raiva ela atacou o homem, mas foi morta com uma faca fincada no peito, ela não morreu na hora observou o homem caminhar um pouco mais e viu seu próprio marido pagar o homem, em sua morte tudo foi esquecido, mas a mãe teve tanta raiva de seu marido ter pago um homem para matar suas filhas e sua mulher.Em sua lenda dizem que ela a ainda anda por lá, a espera que o homem ou seu marido passe por lá e ela finalmente poder se vingar.

Álvaro disse...

Acho que maior demostração de amor materno e tbm muito comun é daquelas mães que sabendo que vão ter uma gravidez que vai por em risco a pripria vida continuam,e que botam a vida do seu feto antes da propria.
É uma historia verdadeira e que se repete todos os dia

Álvaro Pacheco
alvaro--373@hotmail.com
Florianópolis,SC

João Pedro Nepomoceno Krainski disse...

Acho interessante de uma mãe africana que em 2011 enfrentou um gorila que tinha pego o nene do berço enquanto ela estendia roupa ou um caso que ocorreu no mesmo ano nos estados unidos que um bebê se arrastou para baixo de um carro e a mãe dele levantou o carro com uma única mão e com a outra pegou o bebê que estsva preso ali. Esses são os únicos casos que conheço.

João Pedro Nepomoceno Krainski disse...

Acho interessante de uma mãe africana que em 2011 enfrentou um gorila que tinha pego o nene do berço enquanto ela estendia roupa ou um caso que ocorreu no mesmo ano nos estados unidos que um bebê se arrastou para baixo de um carro e a mãe dele levantou o carro com uma única mão e com a outra pegou o bebê que estsva preso ali. Esses são os únicos casos que conheço.

Ester rezende martins disse...

A história desta família está tocando numerosos corações em Arizona. Os trabalhadores do hospital vêem desde segunda-feira a chegada de inesperados e anônimos presentes, cartas e cartões para a pequena Verônica.Faz um tempo lhe diagnosticaram câncer aos seios, submeteu-se a um tratamento e a enfermidade pareceu recuar. Em junho passado se confirmou que Verônica tinha câncer novamente e além que estava grávida da menina que sempre quis.

“Poucas semanas depois que descobrimos o câncer, ela disse que ‘se eu morrer, cuida do bebê’. Me assustou muito”, lembra Aarón, seu marido faz 21 anos, em declarações ao jornal Yuma Sun de Arizona.

“Estava contrariada, mas sempre confiou mais em Deus do que eu. Pedia-me que não me abatesse: ‘vamos ficar bem. Você tem que ser mais firme’”, lembrou.

Quando os médicos lhe sugeriram abortar, o casal considerou a proposta mas Verônica mudou de idéia.

“Um dia depois ela disse ‘Não. Deus me deu e Ele sabe por que’”, assinalou Aaron. Em julho, o câncer já estava nos ossos, a dor era muito intensa e o desenlace era iminente. Deveu ser transladada de Yuma ao Centro Médico Banner Good Samaritan de Phoenix.

Logo caiu em coma e em 7 de agosto os médicos declararam sua morte cerebral.

Aarón decidiu cumprir a promessa que fez à sua esposa e aceitou mantê-la conectada ao respirador até que sua filha pudesse nascer. Embora os médicos queriam prolongar a gravidez até meados de outubro, uma forte infecção atacou o corpo de Verônica e deveu adiantar o parto.

No domingo, Aarón recebeu a sua filha (ver foto) e um dia depois retiraram as equipes do corpo de Verônica. A bebê nasceu com 30 semanas de gestação e pesou pouco mais de um quilogramo. Foi batizada como Verônica Destiny em comemoração à sua mamãe. Embora seu estado é delicado, os médicos confiam em que sobreviva.

“O último desejo que me legou minha esposa foi ‘Cuida da bebê’. Foi uma decisão muito difícil de tomar, mas lhe fiz uma promessa à minha mulher, e vou cumprí-la”, sustenta Aarón.

Aarón e Verônica se conheceram quando tinham 17 e 15 anos de idade respectivamente. Ela trabalhava em uma fábrica que produzia garrafas de plástico, e Aarón trabalhava como supervisor da mesma companhia em manutenção das máquinas.

“Realmente, era a moça mais bonita do mundo”, recordou. “Minha esposa é uma dessas pessoas que sempre me puxava para melhorar, uma mulher muito firme, mas sempre muito feminina, gentil e delicada”, assinalou Aarón.

Durante todo este tempo, Aarón viajou semanalmente de Yuma a Phoenix para visitar Verônica. “Embora lhe falava, rezava com ela e segurava a sua mão, sei que não está ali. Sei que a sua alma está em algum lugar melhor”, disse Aarón. Cidade:GoiÂnia E-mail:esterrm@hotmail.com Nome:Ester R Martins

Lucas Ferraz disse...

Pamela Voorhees.
Pamela era a cozinheira da colônia de férias de Crystal Lake. E em 1957, deixou seu filho Jason, de 11 anos, sendo vigiado por dois monitores da colônia de férias enquanto ela estava trabalhando. Mas esses se afastaram para fazer sexo e deixaram Jason sozinho, o que acabou fazendo com que ele entrasse no lago da colônia e se afogasse. No ano seguinte, Pamela matou os dois monitores responsáveis pela tragédia, provocando o fechamento da colônia. E praticou várias outras sabotagens para que o lugar não fosse reaberto, sempre que surgia a intenção de alguém reinaugurar a colônia de férias. E em sua última tentativa de fazer isso, em 1979, quando a colônia finalmente estava sendo reaberta, ela matou quase todos os monitores que trabalhavam lá.

lcsferraz96@gmail.com
Rio de Janeiro, RJ.

Ichi Kyo disse...

sei que n deveria esta dizendo isso dela mas ela ...ela fez aquilo com todos eles com TODOS , não poderia simplesmente esquecer a cena de ela arrancando as visceras deles, não num momento como aquele foi para me proteger ela disse, mas... mesmo asim não entendo por que de ela fazer isso nunca vou entender por que ela cometeu suicidio minha mãe ela era a unica que me entendia que me amava de verdade e mesmo asim ela matou a todos eles

"todos eles você quer dizer quem"

minha familia minha irma Carla, meu irmãozinho gabriel e meu papai

"mas por que você sabe dizer?"

não ela simplesmente disse isso antes de atirar na cabeça dela ainda não consigo dormir so de lembrar desta cena

"entendo, bem terminamos por hoje"

tudo bem então ate amanha e por favor

"oque foi?"

não volte ate aquela casa se não a mamae vai ter de cuidar de você

Thales Ferreira Dante
KatiaKyo@hotmail.com
Joinville SC

... disse...

Uma filha amava muito a sua mãe, mas ela gostava de manteiga no pão e a sua mãe não passava a manteiga no pão, então a filha ficou muito brava um dia e começou a agir estranho, falando sobre mortes, na mesma noite estava chovendo muito e a mãe ouviu barulhos na cozinha e foi ver o que era, quando chegou lá viu um vulto, então ela ligou a luz e viu a filha dela... com uma faca na mão... passando manteiga no pão.

Igor Henrique de Oliveira
Sapucaia do Sul, Rio Grande do Sul
igors13@gmail.com

ShendonZ disse...

Uma mãe passar dorgas pro filho preso através do beijo, só pode ser amor de mãe...

Luiz Otávio Brito Freixo
Santos- São paulo
luiz_mdd@hotmail.com

amanda moura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
amanda moura disse...

Essa história ouvi da minha mãe, na minha cidade uma mulher faleceu após alguns dias ter dado á luz, no velório era visível o seio cheio de leite vazando no caixão, a crianca foi levada ao velório e chorava muito. Certo dia a avó da crianca, que ficou com sua guarda, foi ate o quarto ver como estava o bebê, pois esse não chorava mais a noite, o que ela viu foi ao mesmo tempo horripilante e comovente, ao abrir o mosquiteiro avistou a mãe falecida amamentando o bebê em seu colo, por isso este não chorava mais á noite, pois sua mãe o visitava toda noite, e assim ela o amamentou todas as noites até que pararam as visitas. Não sei se foi verdade mas considero essa história um caso de amor maternal ao mesmo tempo que gela quando se ouve. =)
Amanda Moura
Corumbá- MS
moura.amanda18@gmail.com

Sofia disse...

Dizem, os mais velhos, que uma mulher só se sente completa quando têm um filho. Eu discordo completamente dessa frase, uma mulher só se sente completa quando ama uma pessoa mais que a si mesma, e é capaz de fazer de tudo para proteger o outro, até mesmo após a morte.

Sofia Kauffmann
Porto Alegre- RS
sofikauf@gmail.com

Erika Alves disse...

A mãe interpretada pela atriz Charlotte Gainsbourg, no filme Anticristo de Lars von Trier.
O filme te faz ficar com pena da mãe transtornada, pela perda de seu filho, mas no ato final se torna uma figura curiosa e “insana”!!!
:)

Erika Alves de Almeida
Santos/SP
erikalk@gmail.com

Andreza Zanre disse...

Trabalhei em uma grande seguradora por muitos anos, e durante esse tempo descobrimos a história da mãe que um dia perdeu um de seus 6 filhos em um atropelamento a beira de uma estrada. O culpado era nosso segurado, ela recebeu a indenização por morte da seguradora e mais o seguro obrigatório... Meses depois soubemos que ela havia matado mais 3 de seus filhos jogando-os na mesma estrada, apenas para receber as indenizações das seguradores e do seguro obrigatório. Essa é uma história de falta de amor de mãe! hahahaha PS: parabéns pelo blog! Adoro! PS 2: ao finalizar esse comentário e clicar em visualizar, começou a propaganda com o trailer do Mama na Warner! ;)

Júlia B disse...

Mãe depois de morta sempre volta a noite para cobrir seu filho

Júlia Brito Albuquerque
São Paulo/SP
julia.b.albuque@gmail.com

iris disse...

Uma mãe teve apenas um filho e com esse filho fez questão de criar ele como único e só para ela.Quando o rapaz começou a ficar a adolescente se interessou por várias garotas,mas a mãe não aceitava nenhuma.Com o passar dos anos ele não tinha nenhuma namorada ou nenhum mulher,a forte influência e o amor da mãe por ele ,fez com que os dois tivessem relações sexuais,como praticamente essa foi sua criação a mãe e o cara não tinham nenhum problema com isso e achavam super normal
Essa é uma historia real,só não me lembro se vi no jornal ou no rádio.
Iris da costa floriano
São Paulo/SP
iris_floriano@yahoo.com.br

iris disse...

Uma mãe teve apenas um filho e com esse filho fez questão de criar ele como único e só para ela.Quando o rapaz começou a ficar a adolescente se interessou por várias garotas,mas a mãe não aceitava nenhuma.Com o passar dos anos ele não tinha nenhuma namorada ou nenhum mulher,a forte influência e o amor da mãe por ele ,fez com que os dois tivessem relações sexuais,como praticamente essa foi sua criação a mãe e o cara não tinham nenhum problema com isso e achavam super normal
Essa é uma historia real,só não me lembro se vi no jornal ou no rádio.
Iris da costa floriano
São Paulo/SP
iris_floriano@yahoo.com.br

Paloma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paloma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paloma disse...

Oi boa noite o caso que eu conheço ate agora.. foi da minha mãe...
quando eu tinha 12 anos eu ia viajar para uruguaiana-rs para visitar minha tia, ia meu irmao, eu e o meu primo de carro.
Minha mae acostumada ja com a ideia resolveu um dia antes insistir para ir junto nessa viagem, a principio foi nessa viagem: minha mae, meu irmao, eu e o meu primo.
Quase chegando perto da cidade uma antes, a cidade de Itajaí, o meu primo teve que desviar dos buracos que estavam na estrada, seguido disso ele foi pra outra pista ao qual logo em frente tinha outro buraco e ele tentou desviar voltando para a pista de novo ao qual estávamos e perdeu a direção...
Depois disso eu nao lembro de mais nada eu estava sem Cinto e o meu irmao tbm estava sem,
so minha mae e o motorista...

ela me conto que quando o carro começou a virar para encapotar ela viu eu e o meu irmao caindo para frente, talvez com impacto iriamos voar pela janela ou algo do tipo... ela nos segurou com seus braços...

hj em dia eu fico pensando foi o amor dela que levou ela a insistir ir na viagem, talvez nao estaríamos vivos se nao fosse ela e ela foi a unica nessa viagem a mais prejudicada pois ela teve ferimentos graves.. quebrou duas costelas e um dos braços...bom essa e a historia que eu conheço..


Paloma Dias pereira
palomadpm@live.com
Porto Alegre - Rs

Monica Eimi disse...

Vi uma vez uma reportagem falando que num país do Oriente uma mãe de um garoto de 8 anos matou o filho depois de dar banho nele. Na delegacia ela disse que fez aquilo porque não queria que o filho sofresse, pois o coitado tinha o pênis pequeno e ia ser reprimido pela sociedade por causa disso.

Mônica Eimi Harami
Guarulhos- SPi
mkehrm@gmail.com

Monica Eimi disse...

São Paulo, apareceu um 'i' ali kkkk

Monica Eimi disse...

Vi uma vez uma reportagem falando que num país do Oriente uma mãe de um garoto de 8 anos matou o filho depois de dar banho nele. Na delegacia ela disse que fez aquilo porque não queria que o filho sofresse, pois o coitado tinha o pênis pequeno e ia ser reprimido pela sociedade por causa disso.

Mônica Eimi Harami
Guarulhos- SPi
mkehrm@gmail.com

Fagnani disse...

Esta história aconteceu com a minha vizinha. Um dia ela estava nte nossa casa e um rapaz passava na rua com um pittbull. O cachorro escapou da coleira e tentou morder a criança. A mãe conseguiu segurar a boca dele aberta até que o dono chegasse para prende-lo novamente. (dizem que a mordida de um pittbull tem o pressão de 1 tonelada) Tirando os machucados leves na mão dessa brava mãe, ninguém se feriu com o acontecido.

Fernando Fagnani
São Paulo - SP
fernandofagnani8@gmail.com

Gabriel Sales disse...

Eu conheci esse garoto...
Ele vivia metido em furada, mexia com drogas e andava com gente da pesada, e pra ele acabar não morrendo, a mãe dele acorrentava ele em casa , acorrentava seu pescoço e suas pernas, e ele não conseguia escapar, hoje ele saiu da vida que ele tinha graças a mãe dele, u m amor exagerado e super protetor que acabou salvando a vida dele.

Gabriel Sales

Rio de Janeiro - Angra dos Reis

gabri_retalhador_@hotmail.com

CACI'S disse...

Certo dia enquanto dormiam ouviram fortes batidas na porta da sala. O pai levantou-se para ver o que era e não mais voltou... ouviram-se alguns sons abafados dos quartos das irmãs e então a mãe levantou-se e foi checar. Não conseguia enxergar nada com clareza, tamanho o choque de apenas ver os cômodos lavados de sangue. Sangue de seus filhos e marido. Pedaços de corpos e seus interiores por todos os lados e lá no canto como um cão amedrontado estava ele, o filho drogado e agora assassino que agora arrancava as piores lágrimas de sua mãe. Como que numa historia de pescador, do meio do cômodo a mesa despedaçou-se e via-se um buraco no chão, assustando inclusive, o próprio assassino. O Demônio vinha buscar o garoto e garantir sua passagem ao inferno antes que pudesse se arrepender e virar mais um desses religiosos que conseguem perdão e vida eterna. E já estava por arrasta-lo pelos cabelos quando a mãe interviu “Me leva! Não leve meu filho!” – “Mas ele acabou de matar seu marido e filhas! Como pode ter piedade, velha burra?” – “Todos os que ele matou esta noite não estarão com você, e quero que ele também tenha sua chance. O que pode ser melhor pra você do que queimar um amor de mãe eternamente a ter mais um criminoso?” E assim o diabo levou a mãe e seu amor para o fogo eterno.

Cicero Freire - Guarulhos

cicero_snape@hotmail.com

CACI'S disse...

Certo dia enquanto dormiam ouviram fortes batidas na porta da sala. O pai levantou-se para ver o que era e não mais voltou... ouviram-se alguns sons abafados dos quartos das irmãs e então a mãe levantou-se e foi checar. Não conseguia enxergar nada com clareza, tamanho o choque de apenas ver os cômodos lavados de sangue. Sangue de seus filhos e marido. Pedaços de corpos e seus interiores por todos os lados e lá no canto como um cão amedrontado estava ele, o filho drogado e agora assassino que agora arrancava as piores lágrimas de sua mãe. Como que numa historia de pescador, do meio do cômodo a mesa despedaçou-se e via-se um buraco no chão, assustando inclusive, o próprio assassino. O Demônio vinha buscar o garoto e garantir sua passagem ao inferno antes que pudesse se arrepender e virar mais um desses religiosos que conseguem perdão e vida eterna. E já estava por arrasta-lo pelos cabelos quando a mãe interviu “Me leva! Não leve meu filho!” – “Mas ele acabou de matar seu marido e filhas! Como pode ter piedade, velha burra?” – “Todos os que ele matou esta noite não estarão com você, e quero que ele também tenha sua chance. O que pode ser melhor pra você do que queimar um amor de mãe eternamente a ter mais um criminoso?” E assim o diabo levou a mãe e seu amor para o fogo eterno.

Cicero Freire - Guarulhos

cicero_snape@hotmail.com

Samuh disse...

"Quando meu primo tinha poucos meses de vida teve pneumonia e minha tia repetia um ritual toda manhã para que ele pudesse respirar: sugava-lhe as secreções do pulmão pelo nariz com a própria boca."

Ele sobreviveu.
Inusitado... Amor de mãe!

Samuel,
Belo Horizonte - MG
samuhpsi@gmail.com

Alma Despenada! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jun disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Deep disse...

Sem dúvida o maior caso de amor de mãe que eu adorei foi o de Pamela Voorthees. A Mãe do Jason, o Ato de amor dela foi vingar a morte do filho quando os monitores do acampamento o deixaram morrer afogado por pura negligencia! Como vingança ela matou os dois conselheiros (Claudette e Barry) e mais sete monitores. Jason faz tudo o que a sua mãe manda, pois ele a ama mais do que qualquer coisa.
Cabreúva-SP
Guilherme_silva7@hotmail.com

Tadashi disse...

Um dia um sorveteiro vendeu um picolé para minha mãe... então ela ficou no dilema... mordo ou chupo... então eu disse: "AHH MORDE MÃE!!!!"

Rafael Tadashi Hasegava
Ribeirão Preto - SP
rafaelhasegava3000@hotmail.com

Tadashi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel disse...

Uma música que do meu primo inventou qndo era criança e vivia cantando pra mãe dele que era/é super protetora:
No dia em que eu sai de casa minha mãe gritou: "Matheeeus vem cáá", me pegou pelos cabelos me jogou no quarto e começou a me espancar, "filho por onde você anda? não escutou os tiros lá no fumacê?, ela disse q se eu sair de casa eu irei morrer...

Biєł ηuηєs disse...

"MÃE!
São três letras apenas
As desse nome
bendito:
Três letrinhas nada
mais...
E nelas cabe o
infinito.
E palavra tão pequena
- Confessam mesmo
os ateus
-É do tamanho do
céu!
E apenas menor que
Deus..."
(Mario Quintana)

Gabriel Nunes
Brasília - DF
nunesziin@gmail.com

ranger.duck disse...

Meus pais se divórciarao quando era criança e eu e minha irmã vivemos um bom tempo sem saber seu paradeiro eo meu pai sempre a amando muito...
Um dia eu o encontrei na sala sozinho e com um olhar triste e perguntei institivamente sobre onde tava minha mãe, e ele respondeu- eu sou seu pai... e sua mae
Aquela resposta me assustou e nao perguntei mais sobre ela.
Anos se passaram e ela retornou... ela entrou e se dedicou a uma igreja e ao entrar em nosso quarto o encontrou muito bagunçado e começou a arrumar tudo e dias foi se passando e eu muito feliz por esta com ela e ate q um dia o quarto estava bagunçado de novo e entao ela começou a falar coisas estranhas do tipo "entidades se escondem na sugeira..." e eu comecei a rir e disse: -quais? Germe? Kkk
E ela me respondeu secamente :- nao, demonios...
Nunca mais deixei de arrumar o quarto kkkkk
Mais ate hoje nao sei por onde ela esteve e nem pq voltou e foi aceita tão bem pelo meu pai

Narumi disse...

Essa história foi um amigo meu que me contou.
Havia uma mulher, tinha um filho com problemas cardíacos desde que nasceu. Por causa de sua doença cardíaca, ela o mantinha em casa, com medo de acontecer algo que pudesse afetar sua doença.
O tempo passou e o menino foi crescendo, e sempre estava dentro de casa, ele ficava ao lado da janela observando as crianças da rua brincando, rindo, se divertindo. Então ele perguntava para sua mãe se podia sair de casa e brincar com as crianças da rua, mas a respostas sempre era a mesma: "Não, você não vai sair de casa", semre sentia raiva da resposta da mãe, ser sempre a mesma coisa.
O menino foi acumulando cada vez mais essa raiva de não poder sair de casa. Então começou a ignorar sua mãe. Ela já tinha desistindo de reconquistar a atenção de seu filho, mas isso não foi sucedido, então se passaram meses e aconteceu o que sua mãe temia.
Enquanto o menino estava escutando música, de repente foi tomado pelo ataque cardíaco.
Quando a sua mãe o socorreu e chegou ao hospital, o médico analisou, e disse: "O seu filho precisa urgentemente de um transplante de coração". Os médicos tentaram arranjar u coração, mas era quase impossível, já que os corações que haviam no hospital, não era compatíveis com seu corpo. Então sua mãe tomou uma atitude surpreendente. Ela ofereceu o seu coração para o transplante de seu filho, o coração dela, era compatível com a do seu filho.
Após a cirurgia, o menino acorda e olha ao seu redor, não se lembrava que tivera um ataque cardíaco. Então ele pergunta a enfermeira: "Enfermeira, sabe onde está a minha mãe?", então ela contou que para salvar a vida do próprio filho, ela mesma teve que se sacrificar e dar lhe o próprio coração.
Só ai o menino percebeu, o quanto a sua mãe o cuidava com carinho e muito cuidado. Percebeu que a sua atitude de ignorar sua mãe foi uma grande besteira, e que se lamentar agora não fazia mais sentido, já que sua mãe se fora, o amor de sua mãe era grande forte, ao ponto de sacrificar-se para salvar o seu filho.

Narumi

E-mail: narumi.hirano@hotmail.com
São Paulo, SP

Alma Despenada! disse...

Eu não me lembro de história alguma, e fiquei com preguiça de pensar, daí fui pesquisar notícias, e a primeira que achei (recente inclusive)já foi o suficiente,e na notícia dizia o seguinte:

"Uma mãe indonésia matou afogado o seu filho de 9 anos sob a alegação de que estava preocupada com o futuro do menino por ele ter um pênis pequeno. Para ela, isso afetaria demais a vida do garoto. A informação foi dada por um porta-voz da polícia nesta quinta-feira (28).
Ela afogou o filho em uma banheira. Depois o vestiu e colocou seu corpo na cama. Então foi à delegacia para confessar o crime". De acordo com a polícia, a mulher estava consciente do que havia feito, mas a polícia pediu a realização de um teste psicológico para avaliar o estado mental da mulher."

Não se trata de uma lenda, nem mesmo histórias de conhecidos, mas "ô" mãããe legal essa, que fez o favor de salvar o filho do bullying no futuro!
É puro amor... pra mim, isso sim é que é amor de mãe!!!

saabdala_frc@hotmail.com

Franca - SP.

Amanda Fidalgo disse...

Essa história foi a minha avó que me contou.
Em meados da década de 70, houve uma guerra civil numa pequena cidade do interior de São paulo. Várias lojas haviam fechados e muitas pessoas haviam morrido de fome. Uma mulher morava sozinha num pequeno barraco com seu filho de apenas dois anos. A criança estava com muita fome, e então a mãe saiu a procura de um copo de leite com açucar para dar pro seu filho.
Um senhor na mesma rua tinha uma pequena mercearia que por sorte não tinha fechado, e então a moça foi até ele lhe pedir um copo de leite e açucar.
- Por favor moço - Disse a mulher quase aos prantos - Meu filho esta com fome e eu não tenho nada para dar de comida. O senhor não me arrumaria um copo de leite com açucar? Quando eu puder eu te pago.
- E eu la tenho cara de pai do seu filho? - Disse o velho - Quem pariu mateus que o balance. E vá embora daqui.
A mulher o olhou nos olhos, e aquela cara de choro se transformou em puro ódio.
- Pois bem senhor, não deve ter filhos não é? Pois há de vir um dia que o senhor não vai poder sentir nem o cheiro do açucar. Não vai poder tomar uma gota se quer de leite.
Falando isso, se foi.
O menino morreu, e sua mae morreu logo depois por não aguentar a dor.
E o velho, depois de algum tempo, morreu de diabetes e intolerancia a lactose.

Moral: As palavras de uma mãe tem força. Como ela pode abençoar como amaldiçoar.

nandynha-fs@hotmail.com
Iperó, Sp

Jenna DiLaurentis disse...

A mãe de uma amiga minha (elas são japonesas, mas se mudaram para o Brasil a um tempo) acredita que o reflexo dos espelhos são na verdade sua alma (só japonês mesmo...). Quando o marido dela se suicidou, ela decidiu guardar o espelho que estava na frente dele quando ele se enforcou e ela o guarda no armário, para manter "a alma do marido sempre viva e ao seu lado".

sandygchagas@hotmail.com
Rio de janeiro, RJ

Lwara Barquett disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo disse...

ela veio de noite acho estranho sua reação sempre vinha me beijava fazia o sinal da cruz em minha testa
-Boa noite dorme com deus
-boa noite...
sussurrando em silencio o meu boa noite vejo ela ir dormir logo cubro-me dos pés a cabeça...mas desta vez não! ela me olhou,que olhar frio se aproximou senti como se todo o calor deste mundo sumisse,o ar esta pesado como pode em pleno verão fazer frio
me pego pensando mais um segundo de silencio e ela já esta proxima a mim com um sorriso no rosto ela me diz
-boa noite filho...
seu corpo esta no chão frio ela morreu mais veio me dizer seu rotineiro comentario
que engraçado ela não fez o sinal da cruz em mim desde então

ricardomedroso@gmail.com
bauru sp

LUIZ RICARDO disse...

cade os ganhadores?????

perlocus disse...

Eu me recordo de um caso que aconteceu no interior de minas , A mãe e seu filho passeavam tranquilamente na sua cidade num dia comum , quando do nada surge um motorista embriagado (pelo que afirmaram as testemunhas, pois , diziam que além de estar correndo muito, ele também não conseguia ficar com o carro estabilizado, diziam que o carro ia para a direita e para a esquerda loucamente), pois bem, a mãe , como que por instinto de natureza, viu que o carro estava vindo em sua direção em alta velocidade. Ela tentou sair da rota de colisão com o carro , mas como sem explicação , apareceu um outro carro cruzando a frente do motorista irresponsável. O carro veio a colidir com o motorista irresponsável, tendo a capotar por diversas vezes , e ainda por cima , na direção da mãe e do filho. O carro acabou se chocando com a mãe e o filho . A mãe se levantou e nada havia acontecido com ela, mas ao virar-se para o lado, viu que o carro estava emcima das pernas de seu único e amado filho, prendendo-o. Como que por algum ato divino , ela imediatamente foi até o veículo,e sem pensar, levantou o carro com uma força sobre humana, e o amor da mãe era tanta que ela levantou o carro e conseguiu tombá-lo para o lado e foi ao socorro de seu filho amado. As testemunhas que viram a cena ficaram de boca aberta , pois a mulher era de um porte mediano , magra, pesando em volta de uns 77 kilos , alta e muito bonita,por volta dos seus 37anos. Como que uma mulher com estas características conseguiu levantar um carro e tombá-lo para o lado sendo que ela nunca havia frequentado nenhuma academia e nunca realizou algo desta magnitude . Por isso que falam que o amor de mãe supera todas as barreiras do impossível e do inexplicável ..........

cidade: ribeirão preto sp
anjoweder@uol.com.br

Gabrielle Idalgo disse...

Não sei se é verídico, mas foi uma amiga de família meio louca/macumbeira que contou kkkk (sem preconceitos)

Na Bahia, tinha uma garota que ajudava muito a sua mãe em casa, já que o pai dela tinha morrido e ela tinha 2 irmãos mais novos. Além da mãe dela ter ficado com sequelas mentais depois da morte do marido.
Todos os dias a garota ia pro centro do bairro pra vender acarajé, e voltava cerca de 7:30 da noite. Então ela chegava, comprava comida com o dinheiro que tinha ganhado e fazia alguma coisas pros irmãos comer, porque a mãe dela estava em depressão e não conseguia fazer mais nada.
E assim foi durante um bom tempo, uns 4 meses.
Então, um dia quando a garota foi vender acarajé, a mãe, em casa, entrou em desespero dizendo:
- Minha filha... ela vai morrer!! Ela precisa tomar cuidado hoje, eu vejo isso! Vou atrás dela.
Os dois irmãos da garota, achando que era apenas mais uma crise de insanidade da mãe, acharam que ela estava delirando, e não quiseram deixar ela sair de casa, mas ela saiu mesmo assim.
Enquanto a menina estava atravessando a rua pra fazer mais vendas, um carro passou em alta velocidade e quase a atropelou, a garota apenas se viu sendo jogada para o chão. Ela olhou para o carro e viu que sua mãe havia sido atropelada, e assim salvou sua vida e morreu.
A garota então passou a ter todas as responsabilidades da casa, sendo MÃE de seus próprios irmãos, e sabia que seria capaz de pular na frente de um carro pra salvá-los também.
E todo vez que ela passava pela rua do acidente, ela escutava sua mãe dizendo: CUIDADO!!

FIM

Bem é isso, é um bom conto sobre o amor inconsequente de uma mãe.
Sendo verdade ou não.

Gabrielle
email: gabrielleidalgo@hotmail.com
São Paulo, sp

leonardo soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
leonardo soares disse...

em uma pequena cidade do Paraná,em uma movimentava rodovia onde já aconteceu vários acidentes. uma mãe e seu filho de três anos, aguardavam para atravessar a rodovia que não possui nenhum tipo de passarela para pedestres. A criança se precipitou, soltou a mão da mãe e correu para atravessar. A mãe em um ato corajoso, alcançou o filho e o jogou de volta ao acostamento, mas não conseguiu voltar a tempo. E a mãe morreu no acidente, Um motociclista que vinha logo atrás o carro que atingiu a mãe, socorreu o menino que só sofreu escoriações leves.A mãe havia dado a sua vida para salvar seu filho . Leonardo email:lonardo.soares95@bol.com.br São Paulo, sp

LUIZ RICARDO disse...

cade os ganhadores????

Pâmela nakamura disse...

Isso e um enigma dom medo muito bom

Negro de óculos disse...

Puts

Jaime disse...

Isso que vo Dizer foi comigo em Guarulhos e meio pegueno,mais vamos la

EraMOs 3 amigos (Jaime(eu) Daniel Pao de Queijo(Davi))A gente estudava na escola,Daniel era um garoo timidoe quando eu era Zuera e a gente se conheceu e Pao de Queijo um aluno que entro,a gente começo se conhecer e vi que mae do Daniel era doente por ele,A mae dele dava banho nele fazia de tudo e Daniel nem podia sair pra brincar,quando eu fui visitar ele a mae dele ficava ensima respondedo tudo por ele,e assim foi passar dos anos ate eu fazer 18 anos e daniel 17 e Pao de Queijo 18 ,Um dia Eu daniel bebemos vodka e Daniel fico em coma,Pra eu nao ser culpado Daniel falo que foi Pao de Queijo que compro a Vodka,E foi assim os meses ate o Pao de queijo ir na casa dele e a mae com malicia Mato ele com facadas.a Irma dele conseguiu livrar a mae da cadeia (A irma Andrea era Advogada)e fooi fazer Tratamento na Clinica Vera Cruz no Jaçana e meio confuso mais isso foi mt pra min,e falo aquela Mae amava o filho

Ultimo bloger com Pao de Queijo
http://jardenal.blogspot.com.br/



Ate mudei de cidade apois iso

Moltini@rocketmail.com
Sao Sebastiao-SP

glaucia pricila disse...

Eu preciso ver esse filme !!!!!!!!!!!