18 de julho de 2013

A Origem da Lenda dos Vampiros



Essa lenda é tão remota quanto a própria existência humana. A essência do vampiro como um monstro sugador de energia vital foi uma das primeiras manifestações culturais diante do desconhecido: as doenças. Nos primórdios, ninguém tinha esse conceito de "doença". O corpo humano e sua complexidade eram absolutamente ignorados. Quando alguém começava a passar mal logo creditavam o fato a algo sobrenatural. Então surgiu a ideia de seres que se alimentavam da energia dos vivos, deixando-os naquele estado torpe até, talvez, levando à morte.

[leiamais]

Essa crença popular tem registro em culturas antiquíssimas como a mesopotâmica, a grega, a suméria, a babilônica, a asteca, a africana, a hebraica e muitas outras. Sendo o sangue o símbolo da vida, muitas acreditavam que os seres se alimentavam dele. Apesar da terem aparência variável nos mais diversos folclores, foi nos vilarejos da Europa central que eles começaram a se parecer mais com os vampiros de hoje. E serem documentados também. Espalhou-se por ali que os corpos de suicidas, excomungados ou não-batizados, quando a noite caía, levantavam do túmulo e voltavam para sugar o sangue de seus parentes (que se tornavam vampiros também) e depois voltavam para o cemitério na forma de morcegos. Isso gerou uma onda de pânico que resultou no assassinato de muitas pessoas por crer-se serem vampiras. Acontece que algumas das doenças que atacaram a Europa no séc XVIII, hoje conhecidas e desmestificadas, têm sintomas próximos aos relatos de vampirismo:

Catalepsia: todos os sentidos vitais do corpo se tornam quase imperceptíveis e a pessoa, consciente, fica imóvel, sendo muito comum o diagnóstico de óbito. Porém, a pessoa desperta do estado após um tempo, podendo ser confundida com um morto-vivo; (leia mais sobre isso em nosso post sobre a existência de zumbis)

Porfíria: doença sanguínea hereditária que tem como sintomas palidez, sensibilidade a luz solar e esticamento da pele ao redor dos lábios e gengiva, deixando os dentes mais saltados. (veja a foto de uma criança com porfíria. Se tiver estômago forte, veja a foto de um homem com a mesma doença em estado avançado.)

RAIVA: 7 vezes mais comum em homens (vampiros geralmente são homens), gera hipersensibilidade a estímulos como odor (alho), água (água corrente, benta ou não), luz (sol), insônia e tendência a vaguear (hábitos noturnos), libido aguçada (sensualidade) e ataques de agressividade (quando mordidas são comuns).

A raiva ainda tem como característica ser transmitida por animais contaminados, o que pode ter creditado aos vampiros a capacidade de metamorfose. E, ainda por falta de conhecimento, eles se "certificavam" que a pessoa era um vampiro quando encontravam o corpo do cadáver com sangue fresco saindo pela boca. Hoje é sabido que, mesmo após a morte, a putrefação acaba expelindo o sangue. Além do agravante da raiva deixar o sangue liquefeito por um bom tempo após o óbito. E terras úmidas e frias (como as da Europa central) preservam melhor os cadáveres, mantendo-os mais tempo que o comum.

Ainda há a crença judaico-cristã, que defende que o primeiro vampiro foi um personagem bíblico bem conhecido: Caim. Após matar o irmão e não se arrepender, ele teria sido amaldiçoado e se tornado o primeiro vampiro da história.

O termo "vampiro", aliás, apareceu só no século XVIII na França, como "vampire", num documento que registra casos vampirísticos. A origem da palavra é muito questionada. Pode vir do russo upir, do húngaro vampir ou ainda do turco uber.

Mas o ponto decisivo para a concepção do vampiro atual foi o famoso livro Drácula, de Bram Stoker, lançado em 1897. Inspirado no crudelíssimo príncipe Vlad Tepes Dracul, que governou a Valáquia (atual Romênia) na metade do século XV, o escritor misturou fatos históricos com várias crenças populares (tanto que, no livro, o vampiro vira lobo), aterrorizou gerações e perpetuou a imagem do vampiro nobre, sedutor e misterioso.

As diversas manifestações que se seguiram foram creditando outras características ao monstro até ele virar o que é hoje: o personagem mais popular em livros, filmes, seriados e jogos. Sedutor, infantil, selvagem, cruel e até mesmo brilhante à luz do sol.


Fonte: MUITO Interessante
Bons Pesadelos...

19 comentários:

Kimberly disse...

"Brilhante à luz do Sol" foi ótimo HUSDHD

Eu disse...

Kkkkkk, "brilhante à luz do sol", Crepúsculo.

Ney M A disse...

Brilhante a luz do Sol = Fada (minha opniao)

Nanda Campos disse...

Se Bram Stoker, estivesse vivo pra ver o que fizeram com a imagem dos vampiros, ele se mataria ...

Hazel Folks disse...

Brilhante à luz do sol = Arrumando treta. Olha a polémica.

Caroline Rodrigues disse...

brilhante a luz do Sol: Tinker Bell

Tenten Mitsashi disse...

Hoje em dia as pessoas pensam que vampiros e humanos podem se casar ter filhos...
Maior baboseira,vampiro tem sede por sangue ele não pode controlar e os vampiros nem são tão ``frescos´´...

Marcela Fabreti de Oliveira disse...

"Brilhante à luz do sol" foi um tapa na cara da sociedade.

Sparda lost daughter disse...

Deprimente vanpiros eram tão fodas T.T
agoras são fadinhas saltitantes purpurinadas e emos aviadados . Conde Dracula deixou saudades

Gabriel Nunes disse...

Gostei da vampira...

Sofi Tortura disse...

ficou bem legal, o principe Vlad inspirou a historia pois era muito cruel, conhecido como "o empalador", pois empalou uma vila inteira de pessoa inocentes e colocou na frente do seu reino para impedir que um exercito atacasse (o exercito se assustou com a crueldade e desistiu)
ps. aconselho fazer um artigo sobre tortura, os aparelhos de tortura da idade media, e etc, ia ser legal

Juan disse...

Faz um post sobre os vilões do Doctor Who :3

Maurício disse...

A foto citada acima no texto do homem , nossa o cara parece um zumbi , juro que nunca tinha ouvido falar sobre essa doença , confesso que fiquei com medo , tipo dá uma vontade mesmo de vomitar .
Sobre Caim , já ouvi falar disso , pois ele foi o primeiro assassino que existiu na história do mundo .
Vampiros são fascinantes mesmo , gosto muito de ver filmes ou ler sobre eles .

Paula Nascimento disse...

Eu nem liguei pra foto, para frequentadores do IÉB, como eu, isso é fichinha, alias acho que já até vi essa foto por lá...
A visão de hoje em dia de vampiros é deprimente... vampiro brilhar no sol é pra acabar... pra te falar a verdade, a unica história, dessas frescurentas de vampiros se apaixonarem por humanos que eu gosto é True blood, tem sangue e putaria... e a maioria dos vampiros não são frescurentos...

Lucas M. disse...

Gostei da matéria! Vou sugerir um tema para outra matéria: sobre as diferentes histórias de vampiros da ficção, como a diferença entre os vampiros de cada filme e/ou sobre as diferenças das dos livros e sobre o jogo Vampiro: A Máscara.

Lucy disse...

Eu sou louca por vampiros desde os meus 13 anos, e já li mto sobre o fato do Cain ser o primeiro vampiro, mas existe uma outra lenda tbm q fala sobre Lilith, a primeira mulher que foi criada por deus nos mesmo moldes de Adão, porém, ela fugiu do paraíso, como castigo deus a almadiçoou [provavelmente a maldição foi um estupro q o propio deus fez com Lilith, a propria biblia é cheia de momentos de etupro e sexo metaforizados, como comer uma maçã], dessa maldição Lilith engravidou de 4 crianças, as quais a mataria, durante o parto, 4 animais da natureza a ajudaram, como agradecimento ela deu 1 criança a cada animal, dando origem aos seres sobrenaturais [sendo o Vampiro e o Lobisomen mais conhecidos], ela é a chama "ascestral comum" entre todos os seres sobrenaturais [em muitas estórias Lilith é trocada por um homem, como Underworld].
Lilith é muito usada como "imagem representante" [ou seja, não acreditam na existencia dela, mas gostam do que ela representa] pelos seguidores dos Vampirysmo [religião similar ao Wicca], pois ela representa fertilidade, superação e ligação com a natureza, assim como todo pagão deve admirar e respeitar essas coisas.

wagner disse...

A foto é a versão zumbi do tico santa cruz

Hellen disse...

Eu já li um livro que contava a história do Conde Vlad, e foi um dos mais chocantes que pude conferir. O cara era louco, completamente cruel mesmo.

Pedro disse...

Eu sou hematófago, não li esse post, mas aprovo. (y)