17 de dezembro de 2013

Obsessão pela morte na Era Vitoriana

Olá, sou a Bella, do blog All About London (http://allaboutldn.wordpress.com/) e trouxe um post especialmente pro Medo B. Esse post é sobre visão obsessiva e macabra que os ingleses tinham na Era Vitoriana e outros detalhes interessantes.


Bem, começando do início vou explicar o que foi a Era Vitoriana, ela durou 63 anos e foi o tempo em que a Rainha Vitória esteve no trono inglês. Foi uma época de grandes mudanças e de paz e prosperidade para o povo britânico, mas foi também uma época cheia de costumes macabros entre a sociedade. Sendo um dos mais comentados até hoje as fotografias post-mortem, ou seja, fotos tiradas de entes queridos após suas mortes.

Para os ingleses nessa época a morte era algo extremamente importante, era das pessoas se reunirem ao redor da pessoa quando ela estivesse quase morrendo para ouvir suas últimas palavras. E se essas famílias (só as ricas tinham essa condição) quisessem tirar fotos de seus parentes para guardar para o resto de sua vida a imagem dessas pessoas no momento de suas mortes, elas podiam.
As pessoas geralmente morriam cedo e envelheciam rápido devido aos hábitos da época como o tabagismo e o álcool, isso sem contar o ópio, que é uma droga, e além de ser permitido nessa época, era visto como algo normal e também porque a medicina não era tão evoluída como a de atualmente.

Bem, vale lembrar que nos dias de hoje a média de tempo de vida é de 75 anos, naquela época era 44 e só se tivesse boa condição.
Existem várias fotos das fotografias post-mortem na internet, e tenho certeza que vocês já viram ou já ouviram falar delas, mas de qualquer maneira, aqui vão as minhas preferidas (desde as mais naturais, botando o morto pra se fingir de vivo, até as aquelas no caixão mesmo)

















Vale lembrar que essa obsessão vai além das fotos, na literatura ficou bem claro essa obsessão, alguém aí já ouviu falar do Retrato de Dorian Gray? Tem filme e tudo. Conta a história de um jovem aristocrata que por ser muito bonito se torna inspiração para obras de arte e com vontade de ser jovem e belo para sempre ele acaba vendendo sua alma para que nunca envelhecesse ao fazer isso seu retrato começa a envelhecer em seu lugar, não só envelhecer, mas todo pecado cometido por Dorian aparece nesse retrato, que no caso ele esconde em seu sótão.

Ok, saindo de Dorian Gray e voltando ao que interessa. Os funerais também eram algo muito importante, como eu disse lá em cima a expectativa de vida era pequena, e as famílias mais baixas não podiam pagar qualquer coisa, então as famílias mais pobres guardavam dinheiro para o funeral dos filhos, sim você leu certo, dos filhos. Imagine passar a sua vida inteira sabendo que vai morrer antes dos seus pais?
Pois é. Isso é por que 57% das crianças da classe trabalhadora morriam antes dos cinco anos de idade. Os funerais eram cheios de cortejos e pompa, pessoas carregando o caixão, carruagens negras e tudo mais. Isso desde a casa do morto até a capela do cemitério. Vale lembrar que as mulheres não ficavam para o enterro em si, somente os homens sepultavam o cadáver. Mesmo depois da Era Vitoriana os ingleses continuaram dando importância aos funerais, na Inglaterra houve sessões de cinema para transmitir o funeral do Rei George (sucessor da Rainha Vitória e pai da Rainha Elisabeth II, a atual rainha quem viu o filme “O Discurso do Rei” sabe quem é) para todo o país.

Havia banquetes na casa dos mortos após os funerais, em alguns casos até antes e com o morto lá dentro. O luto também era marcante, após a morte de ou um cônjuge, ou filho ou pai, a pessoa se vestia de preto por um ano, e após esse tempo as cores iam variando de roxo até tons escuros. Mas em alguns casos o luto durava anos, a própria Rainha Vitória ficou de luto por 40 anos por seu marido, o Príncipe Alberto.

Isso tudo se estendia até o entretenimento, as pessoas iam atrás de espetáculos de espiritismo (para os de classes mais baixas) ou sessões particulares com médiuns (para as classes mais altas), em busca de provas da vida após a morte.

Isso é só. Como diz o pessoal daqui: “Bons pesadelos”, quem estiver interessado em mais informações sobre Londres, Inglaterra e Reino Unido (não necessariamente macabras, claro) é só subir a página e clicar no link do meu blog. Espero ter sido informativa com essas curiosidades.


Beijinhos, Bella xx.

6 comentários:

Calebe Priester disse...

sociedades secretas costumam dizer que: "O diabo é igual a morte. A morte é igual o Diabo"

Skull & Bones

U disse...

Tem muito disso no anime Kuroshitsuji se vc souber observar :3

Niick Sz disse...

eu fiquei cm medo daquela foto do cara com a cabeça cortada, a faca na mão e na outra segurando sua cabeça q macabro '-'

Gabriel França disse...

ótimo texto :)

Mandala disse...

Excelente texto Bella, adorei.

Talitha Saeki disse...

Adorei o post, parabéns!