27 de dezembro de 2013

Pink Floyd e O Mágico de Oz

Um clássico da teoria da conspiração. Será mesmo isso tudo PURA COINCIÊNCIA? Isso já deveria estar a muito tempo no Medo B...


Sempre ouvimos falar que se misturase o cd Dark side of the moon da banda de rock britânica Pink Floyd com o filme O mágico de Oz daria uma sincronia perfeita e que um havia sido inspirado no outro na hora de sua criação.

Embora nunca houvesse provas o suficiente pra isso, com a nossa tecnologia e a famosa internet já é possível juntar essas duas belas artes e realmente testar se é verdade ou mito toda a história.

Os membros do Pink Floyd repetidamente insistem que o fenômeno é pura coincidência. Em uma entrevista para o 25º aniversário do disco, o guitarrista e vocalista David Gilmour negou que o disco foi escrito intencionalmente para ser sincronizado com Oz, dizendo que “Algum cara com muito tempo livre teve essa idéia de combinar O Mágico de Oz com Dark Side of the Moon”.

Agora fica a pergunta: a banda fez isso mesmo de propósito? Assista e tire suas próprias conclusões! Curtam o longa Pink Floyd e O magico de Oz








COINCIDÊNCIAS
Alguns exemplos das coincidências entre as duas obras.

Primeira cena em branco e preto:

- O verso balanced on the biggest wave; (balançando na maior onda) é cantado justamente quando Dorothy está se equilibrando na cerca e ON THE RUN começa justamente quando Dorothy cai da cerca. Isso cria um sentimento muito mais obscuro que o próprio filme poderia criar.
- Quando Tia Em está gritando com os 3 trabalhadores, uma voz feminina pode ser ouvido no fundo do disco que pára exatamente quando Tia Em para de mexer a boca.
- Dorothy vira-se e olha justamente quando o verso look around (olhe ao redor) é cantado.
- Quando Dorothy está cantando OVER THE RAINBOW, ela olha muitas vezes para os aviões ouvidos no CD.
- Um verso em OVER THE RAINBOW é: Birds fly, why can’t I? Na música Breathe, há um verso assim: For long you live and high you fly.
- Totó aparece rindo para Dorothy quando a risada é ouvida no CD.
- Repiques e sinos (da música Time)começam a zumbir quando a velha avarenta anda em sua bicicleta. Isso acaba quando ela desce da bicicleta.
- Já dentro da casa, a música reflete o clima da cena, especialmente quando Dorothy muda sua atenção para diferentes personagens.
- As palavras Past, Present and Future podem ser lidas numa placa fora do adivinhador durante o solo de TIME.
- O adivinhador diz a Dorothy que ela precisa ir para casa justamente quando o verso home, home again (casa, casa novamente) é cantado.
- Quando o tornado começa a tomar forma, a música muda para The Great Gig In The Sky (O Grande Espetáculo No Céu).
- A bateria em GREAT GIG IN THE SKY começa justamente quando o vento começa a causar estragos.
- Quando Dorothy bate sua cabeça, a cantora abaixa a voz e a música torna-se suave.
- A música acaba quando Dorothy acorda.
Observação: Em aproximadamente 3:35 de Great Gig In The Sky no álbum PULSE, uma voz feminina sussurra I never said I was afraid of Dorothy, justamente quando sua Tia Em passa pela janela.
- Os sons de Money começam na parte colorida do filme, quando Dorothy abre a porta. Significa o alto custo na produção de um filme colorido na época.
- Dorothy começa a andar para dentro da cidade dos Munchkins junto com a guitarra.

Parte Colorida:

- A boa bruxa aparece para tocar guitarra na sua varinha mágica. Ela move seus dedos na varinha como se realmente estivesse tocando guitarra.
- Os soldados Munchkins marcham com a batida, mais notável quando eles trazem seus braços no peito. Repare como Munchkins dançam com as músicas.
- Durante o início de US AND THEM, o prefeito e os políticos munchkins conversam enquanto vozes masculinas podem ser ouvidas.
- As bailarinas entram em us, us, us A bailarina na esquerda da tela sincroniza sua dança exatamente com a música.
- Os garotos dos pirulitos entram em me, me, me. Eles chutam as pernas a cada me, me, me.
- A bruxa malvada aparece exatamente nas palavras black, black.
- As palavrasblue, blueparece relacionar-se à Dorothy, mas não bate exatamente com a mudança para Dorothy.
- And who knows whick is which and who is who (e quem sabe qual é qual e quem é quem?) é cantado quando a boa bruxa está explicando a Dorothy que existem duas bruxas malvadas – a do leste e a do oeste.
- As palavras up, up são cantadas quando a bruxa malvada está em cima da plataforma, e down, down é cantada quando ela desce da plataforma.
- And in the end (e no fim) é cantado quando a bruxa do leste desaparece.
- down, down é novamente cantado, desta vez quando Dorothy desce da plataforma.
- out, out, out é cantado quando a boa bruxa está indo embora.
- A troca de música ocorre exatamente na troca de cena.

A Cena do Espantalho:

- O espantalho acentua a guitarra wah-wah. A guitarra tocará sempre que o espantalho ou Dorothy falar.
- Seus corpos movimentam-se correlacionados com a guitarra quase que exatamente.
- Ouve-se as palavras paper-boy justamente quando o espantalho mostra os papeis em sua barriga.
- A canção BRAIN DAMAGE (dano cerebral) está tocando quando o espantalho diz que queria ter um cérebro.
- Quando o espantalho está dançando e cantando, ele dança com a música.

A Cena do Homem de Lata:

A batida do coração está tocando no CD quando Dorothy está estalando o peito do homem de lata.

Fim do disco:
Tem gente que acredita que, se o disco for tocado duas (ou três) vezes, a sincronia continua. Para isso, é preciso programar faixa a faixa pra primeira até a última duas vezes seguidas. Eu fiz a experiência somente com a primeira parte, mas vou escrever aqui as coincidências que outras pessoas viram quando repetiram o disco. Vale a pena tentar.

A Cena do Homem de Lata (continuação):

O álbum repete aqui e as batidas de coração também se repetem. Quando o homem de lata está todo lubrificado, ele começa a dançar exatamente quando as batidas começam. Ele dança com a música. O homem de lata faz o vapor sair de sua cabeça com as batidas hi-hat.

A Cena do Leão:

- Um morcego voa através da tela enquanto o som de um avião é ouvido no CD.
- O rosnado do leão correlaciona-se com o som do rosnado no CD.
- O leão parece estar conduzindo a música quando fala.
- Todos os três personagens saltam com a batida durante a mudança de cena.

A Cena do Castelo de Esmeralda:

- O cavalo e os personagens no castelo estão se movendo com a batida.
- O cavalo muda de cores na ordem das cores do arco-íris na capa do disco.
- A mudança de música ocorre quando eles começam a andar na grande sala.
- Dentro das sala do mágico, o fogo atira com a música.
- O leão pula da janela com down, down.
- Forward he cried é cantado quando o homem de lata está dizendo ao leão para ir a diante.
- A fumaça embaixo da cara do mágico aparece azul somente quando ouve-se blue, blue.
- Os repiques ouvidos no começo com a velha avarenta, são agora acentuados pelos aplausos da multidão na cena do balão de ar quente.
- Dorothy bate nas cicatrizes com a batida hi-hat.

De volta para casa (cena preta e branca)

As palavras home, home again são cantadas quando Dorothy acorda e abre seus olhos. A música acaba exatamente quando acabam os créditos.

Outras evidências:

- A capa do disco tem um prisma. A luz preta e branca bate no prisma e sai colorida. No disco original, no prisma da contracapa do álbum, a luz entra colorida e sai preta e branca. Isto simboliza exatamente o filme – começa preto e branco, passa para o colorido e volta ao preto e branco.
- No olho na capa do disco PULSE, que tem uma performance inteira ao vivo de The Dark Side of The Moon, você pode encontrar a bicicleta da velha avarenta, Dorothy, o Leão, o Homem de lata, o Espantalho e a Bruxa.
- O verso Race towards on early grave é cantado durante um close em Dorothy. Isso faz referência ao fato de Judy Garland ter morrido prematuramente devido a abuso de drogas.

Os títulos e seus temas:

SPEAK TO ME (fale comigo) – É a cena de abertura do filme, ninguém tem tempo para conversar com Dorothy quando eles se preparam para a tempestade.
ON THE RUN (correndo) – Uma instrumental que não sincroniza com uma cena em particular, mas é um tema repetido no filme: Correndo para casa no começo; Correndo de casa; Correndo durante a tempestade; Correndo da bruxa malvada.
GREAT GIG IN THE SKY (o grande espetáculo no céu) – A canção começa quando Dorothy está correndo para casa durante a tempestade. O título pode-se aplicar ao tornado ou à casa dando voltas no céu.
MONEY – Pode se referir ao fato deste ser o primeiro filme já filmado em cores. Esta canção começa exatamente quando a parte colorida do filme começa. Deve ser notado que, por usar cores, este filme foi o mais caro da época.
US AND THEM (nós e eles) – Pode significar humanos e munchkins ou bom e mal.
ANY COLOUR YOU LIKE (da cor que você preferir)- No filme o cavalo muda de cor aproximadamente 5 vezes, na ordem das cores do álbum. Isso foi feito de propósito pelos produtores usando gelatina no cavalo.
BRAIN DAMAGE (dano cerebral) – refere-se claramente ao espantalho.


Fonte: Os Profanos
Bons Pesadelos...

11 comentários:

MCS_50 disse...

É incrível como as duas coisas se combinam perfeitamente

Skaila disse...

Só para constar: O Mágico não foi o primeiro filme em cores. A MGM realmente demorou para lançar coisas em cores, mas antes dele, no mesmo ano, The Women teve uma sequência colorida e outros estúdios já haviam lançado filmes inteiros com a tecnologia da Technicolor, como Trail of the Lonesome Pine (da Paramount, 3 anos antes) e Becky Sharp (em 1935 pela RKO).

Bardo Emaconhado disse...

I never said I was afraid of Dorothy
Na verdade é:

And I am not frightened of dying. Any time will do, I don't mind. Why should I be frightened of dying? There's no reason for it — you've got to go sometime.

Ricardo disse...

Separados já são fascinantes juntos ficaram sensacionais, realmente uma obra de arte

MecH disse...

Não sei se notaram mas em mais ou menos 31:15 a bruxa boa está falando com Dorothy e tem uma voz de fundo atrás que coincide com a voz dela e exatamente quando essa voz fala algo como "I am a good man", a bruxa passa a mão na cabeça de Dorothy como se estivesse dizendo que ela é uma boa garota , não que eu acredite , só pra saber se alguém mais notou ou acha que faz sentido :))

Helio Sales disse...

Asneiras, pura coincidência, paranoia!
Isso Freud explica, mas Floyd não!

Leticia Evaristo disse...

Que kibe hein, saudades de textos originais aqui.

@andersoncolor disse...

Eu acho q nao esteja ligado a ocultismo e sim ao LSD Quem ja usou , usa ou saca legal de LSD sabe do q eu to falando , Essa musik Retrata como se fosse uma onda de LSD , Pode parecer maluqice , Mas não é , Na epoca do pink floyd , o LSD tava no auge , artistas de todo mundo Queriam experimentar , era uma experiencia psicodelica Nunka vivida pelo ser humano, era literalmente uma viagem . Ja no caso do filme , dorothy Tem apenas um sonho , Nada que aconteceu durante a aventura é Real , Tanto Q No fim do filme ela acorda Na cama com sua tia do lado acalmando ela. Mt doideira Kra.

@andersoncolor disse...

Medo B Poderia fazer um post relacionado ao LSD , É um assunto mt interessante e Que ajudaria a descrever o Conto do Magico de OZ , Que no meu ponto de vista Tem tudo Mt haver :):):)

Carolina Dias Cezar disse...

Se David Gilmour diz que não tem nada a ver, então não tem nada a ver. <3 Pink Floyd

Dutt Berzeerker disse...

man, eh incrivel.
sincronia perfeita
mto loko