22 de setembro de 2014

Elizabeth Bathory - Mentes Diabólicas





Uma das Mentes mais Diabólicas do Mundo! Você pode ler ou ver o video...


Nascida em 7 de agosto de 1560 na Hungria, Elizabeth Bathory, ou Erzsébet Bathory, foi uma condessa Húngara conhecida como a condessa sangrenta. Filha de Jorge e Anna Báthory , a maior parte de sua vida foi passada em um castelo a oeste da atual Eslováquia. Os Báthory faziam parte de uma das mais antigas e nobres famílias da Hungria, bonita e inteligente aprendeu a falar quatro línguas.

Quando criança, aos 4 anos, ela começou a apresentar crises de epilepsia, mais tarde, ela sofreu oscilações extremas de humor, adquiriu uma personalidade bipolar e tinha ainda momentos de raiva incontrolável ​​violentos. Ela cresceu sendo mimada, sem qualquer tentativa de disciplina de suas governantas, a falta de disciplina acaba de fazer Elizabeth acha que ela poderia fazer o que quisesse, ainda cresceu assistindo aos sangrentos conflitos territoriais e ainda assistiu suas irmãs sendo violentadas e mortas por soldados em um ataque ao seu castelo. O que pra alguns estudiosos pode ter sido o motivo de seu sadismo.

Elizabeth ficou noiva aos onze anos de idade. Em 1574, ela engravidou de um camponês quando tinha apenas 14 anos. dada então a um casal de camponeses, ao que se supõe pagos pela família Báthory para que fugissem do reino com a bastarda. Casou-se em maio de 1575, seu marido tinha 25 anos na época do seu casamento e era apelidado de "O Herói Negro da Hungria", o conde Nadasdy frequentemente, ficava fora de casa por longos períodos, ela então assumia os deveres de cuidar dos assuntos do castelo da família, com o disciplinamento de um grande contingente de empregados, principalmente mulheres jovens, suas tendências sádicas começaram a revelar-se. Durante este tempo, ela também deu à luz cinco filhos, era uma mãe amorosa e dedicada, uma pessoa que nada tinha a ver com a sua reputação sádica.

Ela não apenas punia os que infringiam seus regulamentos, como também encontrava todas as desculpas para infligir castigos, deleitando-se na tortura e na morte de suas vítimas. Espetava alfinetes em vários pontos sensíveis do corpo das suas vítimas, como, por exemplo, sob as unhas ou nos mamilos. No inverno, executava suas vítimas fazendo-as se despir e andar pela neve, despejando água gelada nelas até morrerem congeladas, diziam que ela se divertia dando chaves ou moedas aquecidas ao fogo para queimar as mãos de algumas mulheres, Elizabeth costumava ainda atear fogo aos pelos púbicos de uma de suas criadas. Seu marido que morreu em 1604, se juntava a ela nesse tipo de comportamento sádico e até lhe ensinou algumas modalidades de punição como o despimento de uma mulher e cobrindo-a com mel, deixando-o à mercê de insetos. Elizabeth torturava principalmente jovens que não poderiam denunciá-la, uma vez que ela costurou a boca de uma criada, porque ela falava demais. Em um acesso de raiva teria chegado a abrir a mandíbula de uma serva até que os cantos de sua boca se rasgassem.

Existem relatos que no ano seguinte Elizabeth conheceu Anna Darvulia e teve um relacionamento com ela, uma sábia ,ocultista, alquimista e talvez praticante de rituais de magia negra, após a morte da mulher, ela teria se relacionado com Erzsi Majorova, viúva de um fazendeiro que a encorajou a incluir algumas mulheres nobres entre suas vítimas. Os rumores sobre suas atividades sádicas e o ato de beber sangue humano se espalhavam pelas redondezas e cada vez mais era difícil conseguir jovens como servas, sendo assim ela começou a encobrir o fato dizendo que fora suicídio. Outra história controversa sobre a condessa, é sobre um dia em que a condessa estava de cama, mandou que lhe trouxessem uma jovem donzela para fazer-lhe companhia, mas quando a moça se aproximou a condessa avançou sobre ela cravando-lhe os dentes no pescoço e no tronco arrancando-lhe pedaços de carne.

Suas ações estavam cada vez mais conhecidas pela população, mas a família de Bathory era poderosa o suficiente para subornar as pessoas certas para não dizerem nada. As pessoas tinham medo deles e de seu poder, incluindo a Igreja.

Em determinada época de sua vida, Elizabeth percebeu que estava ficando velha, ela estava com seus quarenta anos e não era mais a bela jovem que já foi um dia. Diz a lenda que ela bateu em uma serva por puxar seu cabelo ao penteá-lo, Elizabeth então a arranhou com suas longas unhas e os cortes sangraram. Elizabeth limpou o sangue em sua mão, notou que a pele abaixo parecia mais jovem e mais firme, foi quando ela teve a ideia de que o banho de sangue da virgem iria ajudá-la parecer mais jovem, tempos depois pensou em beber o sangue das vítimas para melhorar a ação de rejuvenescimento.

Segundo lendas da época, em um calabouço, existia uma gaiola pendurada no teto construída com lâminas, ao invés de barras. A condessa se sentava em uma cadeira embaixo desta gaiola onde era colocada dentro uma prisioneira, que era espetada com uma lança comprida. Esta se debatia, o que fazia com que se cortasse nas lâminas da gaiola, e o sangue resultante dos cortes banhava Elizabeth.

Depois de algum tempo, Bathory decidiu que o sangue camponesas não a satisfazia mais. Ela era um aristocrata, ela precisava do sangue de sua própria espécie. Ela decidiu então abrir uma escola para as filhas da nobreza para ensiná-las comportamento e boas maneiras. Um grande erro cometido por as famílias dessas meninas começaram a despertar suspeitas, essas meninas tinham famílias que se preocupavam com elas. Outro fato desordenado, foi quando Bathory jogou os corpos de 4 meninas por cima do muro do castelo, em vez de enterrá-las.

Desta vez, essas informações chegaram ao Rei da Hungria na época, que ordenou em 1610 que fosse feita uma investigação sobre a situação. uma investigação foi feita no castelo de Elizabeth e algumas meninas foram encontradas mortas ou morrendo na masmorra do castelo, os corpos foram encontrados sob as tábuas do assoalho, em armários, onde quer que eles poderiam ser escondidos. Estupidamente Elizabeth mantinha ainda um livro em sua mesa com os nomes das meninas que ela tinha matado.

Em 26 de dezembro de 1610 Elizabeth foi presa junto com alguns de seus criados. Todos eles confessaram os crimes depois de sofrerem tortura. No entanto, Elizabeth como uma aristocrata não poderia ser julgada por seus atos. Em vez disso, seus cúmplices tiveram que pagar por seu crime com suas vidas. Mas Elizabeth não escapou ilesa, sua família a manteve em prisão domiciliar, em um pequeno quarto no castelo da família, com pouca ventilação, onde morreu com 54 anos.

Há aqueles que acreditam que Bathory não era tão ruim quanto relatam, dizem que, como Vlad, o Empalador, sua história foi aumentada, como parte de uma conspiração, pois as confissões de seus servos foram obtidas por meio de tortura e ela nunca foi julgada por seus crimes. Além dos réus, várias pessoas foram condenadas pelo fornecimento de mulheres jovens, que foram enganadas em busca de emprego o ou pela força bruta.

Seus diários estão em uma biblioteca na Hungria, mas eles não foram traduzidos porque a escrita e a linguagem são difíceis de ler.

essa história deu origem há muitos contos sobre vampiros, diversos documentos mostram ligações entre a família Bathory e a família de Vlad Tepes, o conde drácula,

A banda Bathory, fez em sua homenagem a música Woman of Dark Desires, a banda CRADLE OF FILTH fez um cd intitulado Cruelty and The Beast baseado nela,


Elizabeth Bathory, torturava, matava, criadas, camponesas e jovens meninas da nobreza, ainda se banhava e bebia o sangue de suas vítimas, Elizabeth Bathory é uma das pessoas com mentes diabólicas.


Bons Pesadelos...

4 comentários:

bruno wrynn disse...

Muitos erros de português e gramática, tanto nessa quanto na postagem do diabinho da garrafa.. Qualidade do blog caindo cada vez mais. Vou parar de visitar

Vítor Borges disse...

O filme o albergue 2 faz uma referência explícita ã jaula e ao banho de sangue de Elizabeth barthory

fernando ritt filho disse...

muito erros de portugues e gramatica. E tambem ao se mudar de pagina ela pega 3/4 de assuntos da pagina anterior e assim sucessivamente. A qualidade do blog decaiu e muito e nao vale a pena perder meu tempo com isso... infelizmente..

Mauro Luis Detofol disse...

Revisor de texto URGENTE.
Texto horrivelmente escrito.