Métodos de tortura na China

É gente, começo de 2010 e eu aqui de volta (um tanto quanto enferrujada já que apanhei pra conseguir montar esse post hoje) para a felicidade de uns e tristeza de outros. Volto a ficar responsável pelos posts de sexta para sábado e espero que vocês gostem porque muitos ainda estão por vir.

_


É verdade que a China não é um exemplo de lugar onde os direitos humanos são respeitados mais é um absurdo que o governo chinês use métodos de tortura abomináveis em perseguição aos praticantes de Falun Gong, uma prática avançada de cultivo de mente e corpo. A seguir temos uma lista de alguns dos métodos utilizados.

Alimentação forçada



A alimentação formaça nada mais é do que tubos que são empurrados pelo nariz e no estômago das vítimas, normalmente isso rompe e danifica os tecidos e as vezes o tubo entra no pulmão, eles são deixados no estômago da vítima durante vários dias ou semanas, causando infecções graves ou são puxados e colocados repetidamente.
Como se já não bastasse os torturados muitas vezes são "alimentados" com água salgada, pimenta óleo, água fervente, ou detergente além de urina e fezes.

Masmorra d'agua



Essa técnica me lembrou bastante a espécie de ‘cela’ que aparece no filme “Plataforma do Medo”, tenho certeza de que se vocês já assistiram vão se lembrar também.
A masmorra d'agua consiste em uma pequena gaiola de ferro com pontas em todos os lados na qual a vítima é trancada e algemada no topo durante dias na escuridão total, algumas mergulham a pessoa até a altura do peito com água suja contendo muitas vezes lixo e esgoto e em outros casos é tão profundo até para a pessoa ficar de pé.

A Cama da Morte



A cama da morte é basicamente uma placa de ferro ou madeira com algemas e manilhas para manter as vítimas esticadas em uma posição.
A vítima é geralmente levada a uma cama da morte por um período mínimo de sete dias vestida apenas com uma camiseta ou completamente nua. Como a movimentação é completamente restrita, o confinamento leva à uma atrofia muscular dolorosa que faz com que a pessoa fique mucha e caída no momento em que é solta.
Uma vez que a vítima não foi liberada depois de muitos dias, a tortura sobre a cama da morte é geralmente associada com a tortura de alimentação forçada.

A bancada do tigre



Durante essa tortura, a polícia prende as pernas da vítima firmemente à bancada do tigre usando cintos. Em seguida, colocam tijolos ou outros objetos duros sob os pés do torturado. São colocadas camadas de tijolos até as correias arrebentarem. As vítimas sofrem uma dor insuportável e muitas vezes desmaiam durante estas sessões de tortura.
Outras torturas são frequentemente utilizadas na vítima ao mesmo tempo, incluindo choques elétricos com bastões, queimar o corpo com cigarros, inserir farpas de madeira sob a unha, tapas o rosto e ter a boca amarrada com uma corda (muitas vezes a vítima não pode fechar sua boca uma vez que os dois cantos da boca foram rasgados.)

Celas pequenas



As celas pequenas tem 1,5 metros de altura, 1,3 metros de comprimento e menos de um metro de largura. As vítimas são geralmente algemadas na jaula de modo que fiquem desajeitadas e sem posição. Dormir não é permitido e após alguns dias, as pernas da vítima ficão inchadas. Em casos graves, a necrose pode comprometer os pés, tornozelos e pernas.
Essas celas são colocadas ao ar livre, expondo a vítima ao frio do inverno, ao calor escaldante do verão e a picadas de insetos.

Queimaduras



Este tipo de tortura é mais simples que a outras, ela consiste em amarrar a vítima e queimar seu corpo aos poucos com cigarros, isqueiros, ferros de passar e outras peças do nosso dia a dia.

Choques Elétricos



Os instrumentos mais utilizados para torturar com choques eléctricos são os bastões eléctricos. Estes podem libertar uma descarga eléctrica até 300000 volts, e são usados nas partes mais sensíveis do corpo: boca, planta dos pés, nos genitais, nos peitos e no pescoço. As vezes eles molham a vítima para intensificar a dor e podem usar mais um de bastão ao mesmo tempo.


Demonstração dos métodos de tortura:
Vale a pena ver o vídeo, além das práticas citadas aqui ele mostra algumas que são ainda mais cruéis e inacreditáveis.




Bons pesadelos...