13 de abril de 2013

Inocência amaldiçoada



Corinne era uma garota de 15 anos de idade, que além de ser uma ótima aluna, possuía uma grande afeição por crianças. Ela era conhecida em sua cidade por ser uma das melhores babás e de total confiança. Sempre era contratada por famílias ricas, que quando saíam para jantares, reuniões ou festas, entregavam sua casa e filhos nas mãos dela, que não deixava a desejar: fazia um trabalho excelente e era adorada por pais e pelas crianças. Assim era com Erik, o bebê de 2 anos de uma das famílias ricas com que trabalhava. Já fazia alguns meses que ela havia se tornado a babá dele, e seu trabalho era muito elogiado.


[leiamais]

Corinne chegou como de costume: 10 minutos antes da hora combinada. Deixava tudo pronto para poder passar a noite com o pequeno, enquanto seus pais não voltavam. Geralmente, Erik assistia televisão, brincava com seus cubos coloridos, tomava um pouco de leite e dormia, tudo isso antes das 21h, o que deixava o resto da noite livre para Corinne.

 Mas esta noite seria muito diferente.

Eram 19h quando seus pais saíram, e iriam voltar às 22h. Corinne fechou a porta e as cortinas da entrada, ao dar a volta, ficou em silêncio. Erik, que deveria estar dentro de seu quintal de brincar, não estava. A noite seria longa se o pequeno estivesse com vontade de aprontar.

Demorou alguns minutos até encontra-lo, algo estranho estava acontecendo, disso estava segura. Erik estava mais inquieto do que o normal, chorava por qualquer coisa e estava irritado. Eram quase 21h e Corinne não conseguia acalmar o menino. Ela resolveu esquentar um pouco de leite, pois leite morno costumava dar sono nele. Após mamar, o pequeno subiu para o quarto, no colo da babá. Ela ligou o abajur, que refletia figuras nas paredes. Para ela, era um pouco assustador o modo como o quarto ficava com aquelas figuras refletidas nas paredes, nos brinquedos e até sobre ela, que estava sentada numa poltrona, balançando e ninando Erik.

Ao ver que o menino dormiu, saiu do quarto em total silêncio. Quando colocou o pé no primeiro degrau da escada que levava à sala principal, escutou um grito do pequeno, e, assustada, regressou rapidamente ao quarto.

Abriu a porta... Erik estava sentado na cama, olhando para a porta, ou era isso que parecia. Seus olhos estavam completamente negros, seu rosto havia se deformado e seus gritos se tornavam cada vez mais fortes e altos. Corinne não sabia se deveria se aproximar ou não, mas já seria tarde, Erik se aproximou mais rápido.

Esta noite, os pais do menino encontraram a porta principal aberta. Revistaram a casa inteira, mas não encontraram nada fora do comum.

Em seu quarto, dormia tranquilamente Erik, como se nada tivesse acontecido. Suspirava enquanto dormia, como fazia todas as noites e encantava seus pais.

De Corinne, nada mais se soube.

Nem seu corpo foi encontrado.

Post by: Loucifre
Siga no Twitter: @loucifre

OBS: Queria pedir desculpas aos meus leitores, pela ausência de posts essa semana. Minha faculdade está devorando meu tempo e eu ando numa correria enorme. Prometo que vou me esforçar mais para poder trazer os posts nos dias certos, ok? Desculpem-me ):

Bons Pesadelos...

47 comentários:

Diih Medeiros disse...

Amei a Creepy ! (:
Medo de bebês HSUIAHIUH

@Daniloexe disse...

bebês malditos :x

thaís teixeira. disse...

Crianças são assustadoras. q

@GabrielOfaDown segue lá? disse...

Não gostei. Achei um pouco fraco.

Pedro! disse...

fraco... Sem impacto.. :/

Anna disse...

q criancinha fofa. Tomara q não tenha se engasgado

Fábio Volpini disse...

mais um clichê...
De Corinne, nada mais se soube.

Nem seu corpo foi encontrado.

Selo atividade paranormal de qualidade.

pff

Matheus disse...

Achei a creepy legal ^^ so as garotas pra salvar o blog...

Andre_Pipoca'N'Refri disse...

Ficou cheia de erros :/
Os pais do Erick nem ligaram da Corinne ter desaparecido, eles ficaram contentes dele estar la dormindo como sempre. Da o sentido de que o Erick devorava as babas, mas so a Corinne cuidava dele, tanto que diz que ela sabia que se ele nao estava no bercario ele iria fazer bagunca. Ta, o corpo dela nao foi encontrado, ele comeu as roupas tambem? '-'
O final ficou bem feinho..

Rodrigo disse...

quem é que escreve essas merda?
parece um pia de 12 anos que escreve um troço desse.
muito podre bem na real. fracão ;x

André Higor Huçailuk De Paula disse...

Andre_Pipoca'N'Refri

Pense bem,se os pais fossem o capiroto,e o bebe também fosse parte.Quem iria se preocupar com o corpo da menina?

Ilber Mendes disse...

Fraco, fraco. Parece que uma criança escreveu isso.

Matheus Amandio disse...

Não curti em visão de espectador

Nina B disse...

Loucifre, se for pra forçar post nem faz, a maioria tá ficando uma merda

Felipe Dossie disse...

Me fiz as mesmas perguntas quemo andré, e o sangue na casa? O bebe macabro limpou também? '-'

Boss. disse...

Tipo, achei uma imagem nas interwebs e vou criar uma historinha em cima.

eclipse disse...

Eu achei muito boa msmo! Mas na minha opnião só o final que, assim, fico um tanto fraco '_' poderia ter um final tipo assm: "E quando eles subiram viram uma nova figura, era parecida com a de uma pessoa com medo, logo eles teriam q trocar de abajur de novo, aquele já estava lotando que nem o anterior, pobre babás, foram tantas que trabalharam como babás para Erik, como eu disse pobre babás...

eclipse disse...

Eu achei muito boa msmo! Mas na minha opnião só o final que, assim, fico um tanto fraco '_' poderia ter um final tipo assm: "E quando eles subiram viram uma nova figura, era parecida com a de uma pessoa com medo, logo eles teriam q trocar de abajur de novo, aquele já estava lotando que nem o anterior, pobre babás, foram tantas que trabalharam como babás para Erik, como eu disse pobre babás...

Laura disse...

meio fraquinho...
mto mainstream, faltou um pouco de criatividade.

Diegaozims disse...

Quebrou o ritual, a imagem tem que ficar no final para dar medo, se colocar logo de cara nossa imaginação não flui, pois lendo o texto cada um imagina de maneira diferente como teria ficado o bebe e etc e a imagem no final dá um impacto pois nossa mente funde o que estamos vendo e o que esperávamos ver e como já lemos a historia toda ficamos mais tempo observando a imagem o que aumentaria a concentração e como consequência o medo.

CaioLugia disse...

Tem que botar um controle de qualidade pra essas creepies aí, heim.

Klinger Duque disse...

Se nada mais se soube da menina, Quem que contou os momentos vividos por ela? O bebê?
Nunca critiquei o Medob, mas estou prestes a faze-lo

Gabriel disse...

Olha, eu não gostei muito dessa história. Geralmente gosto bastante de creepypastas assim, mas o final tava muito fraco. Eu gosto de finais surpreendentes e bem tensos, como o que o eclipse ai de cima disse. Além disso, a base da história também não tinha muita força: se a babá trabalhava normalmente por tanto tempo e do nada o moleque ficou demoniado eu já perco a vontade de leer. Mas no geral ta bom.

Rodolfo Godinho disse...

Cara, juro que nunca vi um blog com leitores tão criticos como esse! Meu Deus!! Parece que por mais que façam, sempre vao dizer que esta uma merda, que esta fraco...
Entao me diz, porque diabos ainda entram no blog?
Tem taantos outros por ai! Vao procurar oque fazer ao inves de criticar um trabalho que pessoas fazem VOLUNTARIAMENTE, sem ganhar nada, pra agradar falsos moralistas como voces!
Pqp...
O blog é bom sim, com posts interessantes. Os que nao me agradam, paro de ler e vou procurar outra coisa pra fazer.
Parem de perder tempo postando criticas e xingamentos nada construtivos...
Parabens ao Medo B!

Juan disse...

Eu gostei... Estava muito bem escrita. Períodos bem formuladoes e etc... Acho que está mais para um pequeno conto do que pra creepypasta... e não acho que precisa de um sobrevivente pra contar a história.. Um dos motivos principais é o fato de o narrador ser onisciente...

loucaporanimes disse...

*palmas! palmas! Concordo com tudo o que disse Rodolfo Godinho!

lua disse...

Historia boa, gostei, mas como disseram ai em cima o final poderia ser melhor construído algo que desse mais medo, que deixasse aquela sensação de medo no ar. Mas emfim não é uma critica apenas uma sugestão, pois sou fã do blog.

999 disse...

Se seu corpo nunca foi encontrado, quem contou a historia e quem sabia oq havia acontecido ?

Míris Borges disse...

Controle de qualidade~~.
Puta que me pariu.

É Rodolfo Godinho, também concordo muito com você.

Ilber Mendes disse...

Rodolfo Gordinho, primeiramente, o Medo B é sim um dos melhores blogs da internet quando o assunto é terror. Segundo, tenhamos que concodar que esse post foi sim fraco e digno de crítica. Acho que criticar não é problema não. Críticas, positivas ou negativas, funcionam como uma "selação natural", para apenas melhorar a qualidade do blog. E, afinal, é uma opinião pessoal, e os comentários estão abertos a todo tipo de crítica, seja ela boa ou ruim.

Agnes Silva disse...

Rodolfo Godinho falou tudo... esses hipócritas devem apoiar quem coloca receita de miojo na redação do ENEM, poupe-me mano se não gostou não lê e não comenta!

Gabriel disse...

Não sei se se lembram ou se algum post que passou despercebido por mim anula o que eu quero dizer agora, mas as creepypastas, como eu tinha lido a um tempinho atrás, estavam abertas a opiniões e críticas. Não estou dando razão a quem falou que a creepy tava horrível, mas eu odiei o fato que muitos que estão aqui reclamam dos que criticaram a creepy. Por favor fiquem maduros o suficiente para entender que críticas só servem para ajudar na qualidade dessas coisas, e não para chingar tudo (como alguns aqui devem COM CERTEZA fazer)

lua disse...

Discordo Agnes de quem não gostou não deve comentar, pois como ter um feedback dos posts? o que não pode é serem criticas destrutivas, mas sugestões sim são validas, sou uma fão do Medo B, mas não acho lindas e maravilhosas todas as postagens e quando não gosto sim dou minha opinião e quando gosto tbm elogio.

Sue Way disse...

O negócio não é criticar, é saber fazer críticas construtivas, no dia que eu li "Nossa me perguntei o pq desse post estar uma merda, mas logo soube de cara quando vi quem escreveu ¬¬" pra mim foi demais. e.e' Se as críticas não dão resultado pare de visitar o blog.
Gostei da ideia do texto, mas quando eu estava começando a sentir medo, o final ficou miado ;-; muito vago, só faltou uma aprofundada melhor.

JVCMM disse...

Ae como eu faço para enviar historias para o medob?

Leandro Lima disse...

Boa Rodolfo Godinhoé isso mesmo e, Vão pra Pqp seus criticos recalcados do caralho, a creepy ta boa e o site continua muito bom e isso é o que importa.

Silver Falks disse...

Não gostei.

Poena disse...

Ce que pensa que eles nao ganham nada com o blog...

Augusto Victor disse...

Tudo bem, creepypasta's podem ser totalmente fictícias. Mas ainda assim, começar com um "tchau" e terminar com um "tudo bom?" é demais. Creepy cheia de erros, fora o final fraquinho.
Na boa, está na hora de chamar minha priminha para postar também ¬¬'

N/T: Críticas são críticas!

Unknown disse...

Concordo com a Sue. Se for pra criticar, que seja construtivamente, querendo realmente que a coisa fique boa.
Criticar pra esculachar à toa é coisa de criancinha revoltada, ainda mais que o blog é feito por carinho, não pra fins lucrativos.
Mesmo que ganhem algum troquinho com isso, não são vocês que pagam, então... Cresçam!

- Míris

Laurete disse...

Sem graça, foi isso o que eu achei. Não estou tentando ofender o autor, e isso mal pode ser chamado de crítica.

Décia Andrade disse...

ok... essa aí não deu certo '-'

Paulo disse...

Comer foi facil, ja na hora de sair....

Marcos* disse...

O bebê era um changeling? (Supernatural, terceira temporada, se não me engano.)

Victor2012 disse...

A creepy tá boa,só queria que ela fosse um pouco mais longo,pra aumentar o suspense e o final poderia ser até melhor,mas a loucifre é sempre incrivel nos seus posts e um errinho só não vai destruir ninguém não é,aliás ninguém é perfeito.Meu comentário foi apenas construtivo pois sou fã do blog e da Loucifre também.

Renato Biancalana da Silva disse...

Eu concordo com a Sue. Quando estava começando a dar aquele friozinho na barriga a história foi interrompida abruptamente. Acho que poderia ter dado uma aprofundada maior no ataque e, PRINCIPALMENTE, no que dominava a criança.

MrClawns1 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.